quinta-feira, 21 de junho de 2012

DIVERSÃO SEM-NOÇÃO



FALSA SENSAÇÃO DE QUE O HIV SE TORNOU UMA DOENÇA DE RISCO MENOR TEM DEIXADO OS JOVENS DA GERAÇÃO PÓS ANOS 90 MENOS RESPONSÁVEIS NA VIDA SEXUAL




ATUALMENTE, APENAS 12% DOS JOVENS DE ATÉ 25 ANOS E COM VIDA SEXUAL ATIVA USAM PRESERVATIVO; ENTRE OS USUÁRIOS DE DROGAS, METADE ESTÁ INFECTADA COM O HIV

Apesar dos inúmeros programas de controle de disseminação do vírus HIV e do acesso cada vez mais fácil à informação, a quantidade de pessoas infectadas cresce no mundo todo. São muitos os fatores que contribuem para a disseminação do vírus, principalmente entre jovens de países subdesenvolvidos, como acontece na América Latina e na África. Em menor proporção, os casos de contágio também aumentam na porção mais rica do planeta.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), os principais difusores do HIV são jovens com idade entre 18 e 30 anos, de classe média e com formação educacional elevada. "Esses jovens não viveram o auge da doença, nos anos 80, quando ela matou milhares de pessoas. Hoje, apesar de haver controle, a aids continua sem cura, mas ignoram isso", diz o médico especialista em doenças sexualmente transmissíveis Antônio Carlos Boullos, do HC de São Paulo.

A falta de cuidado no consumo de drogas injetáveis, por exemplo, é outro fator preocupante, alerta Boullos. Entre esse grupo, um estudo do Hospital das Clínicas de São Paulo mostrou que apenas 12,5% usam camisinha nas relações sexuais, e 77,7%% tomam a iniciativa de lavar a seringa quando compartilham a droga no grupo. Segundo documento publicado pela Organização das Nações Unidas, a ONU, 50% dos usuários de drogas injetáveis estão contaminados com o vírus HIV. Acredita-se que cerca de 200 milhões de pessoas (5% da população mundial) consumam algum tipo de drogas.

Boullos explica também que a irresponsabilidade e a descrença de que a aids pode acometer qualquer um também é decisiva para a disseminação da doença no mundo. "Para muitos, o HIV é visto como um problema distante, inacessível, fora de seu círculo de convivência, o que contribui imensamente para que não se tome os cuidados básicos e o uso de preservativos nas relações sexuais", explica.

Dentre todos esses fatores, há também um que assusta os especialistas. A OMS acredita que haja um número muito grande de pessoas contaminadas pelo HIV que, no anonimato, disseminam o vírus de forma propositada. Segundo depoimento anônimo de um desses difusores, a meta principal é contaminar o maior número de pessoas possível. "A gente faz isso por diversão e pra se vingar também, já que a gente não sabe, nem nunca vai saber que passou o vírus pra gente", diz.

Por isso tudo, a prevenção e a conscientização são as melhores alternativas para se proteger e, principalmente, acreditar que o vírus existe e está por aí, em toda parte. Ninguém está imune. O vírus não escolhe a quem contaminar pela aparência, situação econômica ou orientação sexual. Portanto, acredite: ele pode estar em qualquer lugar. E, por incrível que pareça, até mesmo aí ao seu lado!

Um comentário:

  1. Falta ainda da parte dos pais, diálogo , com os filhos a respeito da vida sexual, dos perigos que o mundo apresenta, sabemos que falta da parte dos governantes, maior atenção neste assunto que é tão importante.

    ResponderExcluir