sábado, 7 de outubro de 2017

'AS FEIAS QUE ME PERDOEM






'AS FEIAS QUE ME PERDOEM, MAS BELEZA É FUNDAMENTAL':QUEM PENSA ASSIM É PRECONCEITUOSO, REALISTA OU ILUDIDO?O conceito de beleza não é algo estático, imutável. Longe disso, o belo varia de tempos em tempos e, a cada novo padrão estabelecido, trava-se uma guerra quase doentia para conquistá-lo. Durante a Renascença, por exemplo, a beleza estava diretamente associada ao que hoje é rejeitado, ou seja, às formas roliças e volumosas. A mulher que deixava à mostra o tecido adiposo transbordar era objeto de desejo e devoção. Nas artes, Renoir retratou a beleza feminina ao pintar mulheres gordas deitadas na relva. Monet é outro bom exemplo de exaltação àquilo que, hoje, deixou de ser belo e virou motivo de chacota. Sua obra está recheada de mulheres ‘arrojadas fisicamente’. Não importa qual seja o modelo de beleza exigido por uma época, o importante é estar adaptado a ele. Essa é a regra social. Foi assim sempre e assim continuará a ser. Hoje, no entanto, com as novas tecnologias e a ascensão do mercado de cosméticos, alcançar o padrão de beleza exige apenas um pouco de disposição e a um bocado de dinheiro. Algumas clínicas de estética de São Paulo chegam a cobrar até R$8 mil por um tratamento de cabelo e pele. As expressões faciais podem ser amenizadas por pouco mais de R$1 mil. E, para quem deseja abandonar de vez a Renascença, o mercado oferece as lipoaspirações por preços convidativos. Bastam dinheiro e um pouquinho de coragem. Mas para muita gente, principalmente no Brasil, a preocupação com os custos é algo totalmente secundário. Prova disso é que o País já é o terceiro do mundo em número de cirurgias plásticas realizadas com fins corretivos ou por simples vaidade. À frente dele, só mesmo México e Estados Unidos, responsável por cerca de quase 17% de todas as cirurgias plásticas realizadas no mundo. O Brasil abocanha 9%. E, em tempos em que beleza e perfeição suplantam até mesmo outras características como a maturidade intelectual e o bom senso, nem mesmo crianças e adolescentes fogem ao modismo das plásticas. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a cada ano o Brasil realiza cerca de 30 mil cirurgias plásticas em crianças e jovens de até 17 anos. Todas por motivos meramente estéticos. Isso significa que 10% das pessoas que se submetem a tais intervenções estéticas ainda não atingiram a maioridade, uma vez que o total anual dessas cirurgias gira em torno dos 300 mil. E os números não param de crescer.





Conheça a nova etapa do Tratamento para a cura dos vícios

Por Daniel Cruz / Foto: Demetrio Koch


Há 3 anos e meio, o especialista Rogério Formigoni iniciava em um prédio localizado em Santo Amaro, zona sul da capital paulista, o Tratamento para a cura dos vícios.


O encontro, além de contar com o método do especialista, também trazia para os participantes a experiência que ele tinha sobre o mundo dos vícios.

Como relembrou Luciano Ricardo Marques, um antigo amigo do especialista, naedição 1161, de 29 de junho de 2014, da Folha Universal, Formigoni era conhecido como “Formigão”, no passado, por causa da quantidade gigantesca de cocaína que ele era capaz de consumir. Luciano conheceu Formigoni na cidade de Lucélia, no interior de São Paulo, e conta que na época eles usavam muitas drogas juntos, tais como maconha, cocaína, chá de cogumelo e lança-perfume. Quando soube que Formigoni estava vivo e, para completar, havia sido curado dos vícios e que ensinava esse método para outras pessoas também, Luciano ficou surpreso, até porque já faziam 20 anos que ele não tinha notícias do antigo companheiro de festas.

Agora, depois de ter percorrido o Brasil inteiro e cerca de 40 países ministrando o Tratamento, o especialista Formigoni retorna para o mesmo local onde tudo começou, mas, o objetivo é iniciar uma nova etapa.

“A expectativa é que a gente está só começando. O que foi feito durante esses três anos e meio ainda é nada comparado ao que temos que fazer. A volta do Tratamento para a cura dos vícios é com esse objetivo: alcançar as pessoas que ainda não conseguimos alcançar. Vamos fazer o Brasil e o mundo entender que vícios têm cura. Enquanto a pessoa não entender isso, a pessoa vai continuar nas clínicas, vai continuar mudando de cidade, estado, procurando acabar com o problema do vício, mas, assim, não acaba. O vício vai diminuir com esse tratamento? Não, vai aumentar. Mas o vício pode acabar na sua casa. É só você vir e obedecer”, destaca Formigoni.

Confira, no vídeo abaixo, como será essa nova etapa do Tratamento:

Você deixou de participar do Tratamento?

Se você participou alguma vez do Tratamento para a cura dos vícios, mas por algum motivo deixou de comparecer, essa é a oportunidade de você retornar.

“Em sua maioria, as pessoas vêm em dúvida, porque ela já desacreditou de tudo. Ela pensa, às vezes, que é mais uma porta e quando ela chega aqui, ela entende que não é mais uma porta; é ‘a’ porta. Não é mais uma tentativa, é a alternativa única que ela tem. Porque, eu sei o que o viciado passa e eu sei o que o familiar passa. Se tivesse uma outra porta, eu falaria. Porque, ninguém quer ver o outro sofrendo. Ninguém quer ver o outro sendo enganado. Então, se tivesse uma clínica que funcionasse, eu ia falar: ‘Vá até a fulana, que funciona’. Mas não funciona”, enfatiza o especialista.

Vale destacar que se você tem um familiar que se encontra em meio aos vícios, você pode vir participar representando ele. Por meio de você, ele pode ser curado, onde ele estiver o milagre vai chegar nele.

Se você participou do Tratamento e foi curado, compareça nessa palestra também, como orienta Formigoni: “É importante as pessoas que já foram curadas, participarem do Tratamento, porque elas servem de exemplo para os que vão chegar. Por exemplo, eu fui curado. Imagine se eu guardasse essa cura só para mim. Eu fui beneficiado, sou egoísta, e eu estou curado, graças a Deus, amém. Mas como eu fui curado e eu passo para as pessoas que eu fui curado, aqueles que estavam pensando que não tinha mais saída, que não tinha mais esperança, eles vão entender o seguinte: ‘se ele conseguiu, eu também vou conseguir, se funcionou para ele vai funcionar para mim’.”

O Tratamento para a cura dos vícios acontecerá no dia 8 de outubro próximo, às 15h, na Av. João Dias, nº 1800, em Santo Amaro, zona sul da capital paulista.

Acompanhe também a página oficial no Facebook do especialista Rogério Formigoni e o Instagram e fique por dentro das novidades.







Bispo Geraldo Vilhena e a AMC e um evento na ABADS


























































































































































































A fé sobrenatural que liberta qualquer pessoa do mal diz: O Bispo Geraldo Vilhena.

 

















AÇÃO DE FÉ EM OSASCO CALEBE BRASIL























 



Grupo CALEBE BRASIL no Bloco de Osasco está em AÇÃO:Diz o Bispo Geraldo Vilhena