quinta-feira, 26 de julho de 2012

FOBIAS E MEDOS








"MUNDO EM PÂNICO": METADE DA POPULAÇÃO MUNDIAL, O EQUIVALENTE A 3,5 BILHÕES DE PESSOAS, SOFRE DE ALGUM TRANSTORNO PSÍQUICO; DEPRESSÃO É O MAIS COMUM E ATINGE 400 MILHÕES. COM ISSO, CONSUMO DE PSICOTRÓPICOS JÁ SUPERA O DE REMÉDIOS PARA PERDER PESO E BAIXAR COLESTEROL


A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS) estima que quase metade da população mundial, o equivalente a cerca de 3,5 bilhões de pessoas, sofra de algum distúrbio de cunho emocional e que outros 400 milhões sejam vítimas da depressão, a mais comum das desordens psíquicas. Com isso, o consumo de medicamentos psicoativos em países como Estados Unidos já superou o de remédios para a redução de peso e de colestorol.

TAMBÉM NOS ESTADOS UNIDOS FOI VERIFICADO QUE, ENTRE 1987 E 2007, o número de crianças diagnosticadas com algum tipo de transtorno de ordem psíquica aumentou 35 vezes. Na população adulta esse aumento foi de duas vezes e meia. Hoje, portanto, 10% dos americanos com mais de seis anos de idade tomam algum tipo de psicotrópico, especialmente os antidepressivos.

NA AMÉRICA LATINA O CENÁRIO POUCO MUDA, E AS VÍTIMAS DA DEPRESSÃO SOMAM 24 MILHÕES, sendo que  60% dos casos de suicídio registrados no continente envolvem pessoas desse universo, e é o sexo masculino o mais atingido. Os homens depressivos morrem quatro vezes mais por suicídio do que as mulheres, embora as estatísticas mostrem que elas cometem mais tentativas que eles.

ANSIEDADE ATINGE 1,75 BILHÃO NO MUNDO

DEPOIS DA DEPRESSÃO, OS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, como fobias, transtornos obsessivo-compulsivos (TOC) e pânico são os mais freqüentes. Eles atingem 25% da população mundial (cerca de 1,75 bilhão). 

TODAS ESSAS ENFERMIDADES SÃO CAPAZES DE LIMITAR A VIDA COMPLETAMENTETE. Há inúmeros relatos de portadores de distúrbio de ansiedade, por exemplo, que dizem ter perdido quase tudo para o transtorno: o emprego, uma grande proposta de trabalho, amigos e até mesmo o casamento. Para os médicos, isso acontece porque, apesar de essas doenças estarem cada vez mais presentes na vida das pessoas, elas ainda  despertam muito preconceito, o que leva o doente a sofrer calado, piorando a situação.


CASO MARRONE


O CANTOR SERTANEJO MARRONE, DA DUPLA BRUNO E MARRONE, deixou temporariamente a agenda de shows de lado por causa da síndrome de pânico. De acordo com a assessoria de imprensa do cantor, Marrone sofreu uma forte crise de pânico quando embarcava para o Norte do País, no dia 31 de setembro, onde faria shows ao lado de Bruno. O sertanejo, que já havia confessado seu medo de voar, começou a chorar compulsivamente na hora do embarque. Por isso, foi submetido a avaliação clínica detalhada, que constatou o transtorno de pânico.

NO DIA 2 DE MAIO, MARRONE SOFREU UM ACIDENTE DE HELICÓPTERO em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele teve apenas escoriações leves, mas o piloto, Almir Bezerra, amputou parte da perna e Jardel Alves Borges, secretário e primo, sofreu traumatismo craniano. O choque emocional provocado pelo acidente com a aeronave pode ter sido o gatilho para que a crise de pânico se instalasse no cantor, mas, de acordo com médicos que o acompanham, o acidente, provavelmente, não foi determinante. "O mais provável é que Marrone já vinha trazendo consigo esse problema há anos, mas que só veio à tona agora, depois do acidente", disse. "Precisamos avaliá-lo melhor para só então decidir qual será o melhor tratamento para ele", completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário