sábado, 30 de abril de 2011

2 BILHÕES VEEM O CASAMENTO REAL"


COM 1.900 CONVIDADOS E 5 MIL POLICIAIS E MILITARES NA SEGURANÇA, CASAMENTO REAL CUSTOU MAIS DE R$ 12 MILHÕES AOS CONTRIBUINTES BRITÂNICOS
Mil e novecentas pessoas foram convidadas para participar do casamento real entre o príncipe William e Kate Middleton, que aconteceu na manhã desta sexta-feira (29), na Abadia de Westminster, em Londres. Como manda a tradição inglesa, a cerimônia se iniciou exatamente às 11 horas da manhã de Londres – conferidas pelo Big Ben – sem um minuto sequer de atraso, conforme estava planejado.

REALEZA ESTRANGEIRA, LOCAL E LÍDERES RELIGIOSOS DE TODO O MUNDO NA LISTA DE CONVIDADOS

Apesar de todas as atenções estarem voltadas para o "novo" casal da realeza britânica, Kate e William nãos foram os únicos que chamaram a atenção dos flashes. Entre as celebridades que compareceram à cerimônia estavam nomes de peso, como o cantor Elton John, o jogador inglês David Beckham e sua esposa, Victoria; o ator que interpreta Mr. Bean, Rowan Atkinson e outros "amigos-estrelas" em comum dos noivos. Líderes religiosos de todo o mundo e a realeza estrangeira, como o príncipe e princesa das Astúrias, a rainha da Dinamarca, o rei e a rainha da Noruega completaram a lista.

CUSTOS
A família real pagará todas as despesas relacionadas ao casamento propriamente dito: a cerimônia na Abadia de Westminster, as flores e demais decorações, a procisssão e as recepções. O valor gasto pela realeza, no entanto, não foi divulgado, mas sabe-se que, no total, a cerimônia ficará mais caro do que os R$ 12 milhões inicialmente previstos. Isso porque 29 de abril é feriado local e os seguranças terão de receber mais. Como comparação, a visita histórica do papa ao Reino Unido em 2010 custou entre R$ 2,5 milhões e R$ 3,8 milhões. Segundo divulgou o jornal The Sun, 36% dos britânicos não concordam com as despesas terem sido arcadas pelos contribuintes.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Melancolia precoce



Fernando Gazzaneo redacao@folhauniversal.com.br Marcos*, de 6 anos, não conseguia encontrar o prazer que a escola proporcionava a outras crianças. Ele chorava antes de entrar na sala e não sabia explicar o desconforto que sentia. “Era um menino com baixa autoestima”, lembra a psicopedagoga Telma Pantano, que cuidou do caso. O problema só foi identificado quando a mãe percebeu que os sintomas iam além de indisposição e mau comportamento. Marcos foi diagnosticado com depressão, doença que atinge cerca de 3% das crianças com até 12 anos. Embora seja menos frequente nesta faixa etária do que em adultos, em crianças ela interfere num momento da vida crucial para o desenvolvimento. A depressão está relacionada a uma deficiência na circulação dos neurotransmissores serotonina e dopamina. Essas substâncias, produzidas nos neurônios, são responsáveis pelas sensações de bem-estar e equilíbrio. “A falha neurológica pode estar presente desde o momento do nascimento. Isso explica o fato de haver na literatura médica casos de bebês com depressão”, explica Daniel Paguinim, psiquiatra e professor da Universidade Federal Fluminense. A depressão se manifesta de forma diferente em crianças (veja na pág. 18 e abaixo). “Ao contrário dos adultos, elas podem também manifestar o problema com um comportamento agressivo e irritadiço”, afirma Telma. Por isso, é às vezes confundida pelos pais como uma fase de temperamento difícil. Situações traumáticas, como a morte de alguém ou a separação dos pais, não são as principais responsáveis por desencadear a depressão nos pequenos. “Essas situações só reforçam uma fragilidade neurológica já existente”, explica Telma. Mas o comportamento familiar pode ser um estimulador. Uma família pouco sociável ou um ambiente violento pode contribuir para o agravamento do quadro. “Pai ou mãe com a doença é fator de risco para os filhos”, alerta Paguinim. Segundo ele, o aumento de casos em crianças pode estar também relacionado ao crescimento das exigências em relação ao desempenho delas (leia texto ao lado). A baixa autoestima e a dificuldade de lidar com situações desafiadoras também são sintomas. “Uma criança sem depressão insiste na resolução de um problema. Já a criança depressiva tende a fugir da situação”, diz o psiquiatra. É preciso se preocupar quando os sintomas perduram por mais de 6 meses e interferem no comportamento da criança em outras áreas da vida, como na escola. Na sala de aula, a atenção e o desempenho no aprendizado caem drasticamente e o relacionamento com colegas de classe e professores fica prejudicado. “A queda no rendimento escolar muitas vezes é interpretada com um julgamento de que a criança não quer saber de nada, que está se tornando um inconsequente”, relata Paguinim. E é comum que a doença seja reduzida a um distúrbio de aprendizagem, que requer outro tipo de intervenção. Para a depressão infantil, o melhor é o tratamento com especialistas como psicólogos e psiquiatras.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

"JUVENTUDE 3D




VIOLÊNCIA DIGITAL: CIENTISTAS AMERICANOS RELATAM QUE JOGADORES DE GAMES SANGRENTOS SE TORNAM MENOS SENSÍVEIS A CENAS REAIS DE VIOLÊNCIA
Uma equipe da Universidade de Missouri-Columbia, nos Estados Unidos, procurou descrever os efeitos que alguns jogos violentam causam no comportamento dos jogadores. O estudo monitorou a atividade cerebral de 39 voluntários no que diz respeito à relação de causa-efeito baseada em impacto emocional.

Os cientistas chegaram à conclusão de que as pessoas que jogam periodicamente esses games violentos se tornam menos sensíveis a episódios agressivos. Ou seja, quando esses mesmos jogadores veem imagens reais de violência, seja na tevê ou pessoalmente nas ruas da cidade, eles manifestam atividade cerebral menor do que a verificada entre os não jogadores.

"FOI O QUE ENCORAJOU E MOTIVOU O ASSASSINO
A MATAR O NOSSO FILHO"
(Pais do britânico Stefan Pakeerah, sobre a morte do filho, assassinado por um jogador compulsivo de games violentos)

Apesar dos resultados, os pesquisadores da Missouri-Columbia não acreditam que o instinto violento nos jovens possa ser despertado por jogos, vídeos ou filmes de computadores. Para eles, o debate que se está vivendo nos dias de hoje é o mesmo que acontece há anos, com relação aos efeitos da televisão sobre as pessoas, ou mais recentemente com o do conteúdo livre de censura da Internet.

O OUTRO LADO

Opinião diferente é defendida pelos pais do britânico Stefan Pakeerah, que foi assassinado por um jogador compulsivo de jogos violentos. "Manhunt (Caçada Humana, em português livre) foi o que encorajou e motivou o assassino a matar nosso filho", disse o casal.

CASO WELLINGTON MENEZES

O atirador que promoveu o massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste do Rio, apesar de ser descrito como uma "pessoa calma e isolada" pelos amigos, também era afeito a jogos violentos e vídeos de ação terrorista publicados no portal YouTube. Embora Wellington tenha tentado destruir o computador que usava, ateando fogo nele, a Polícia Federal conseguiu recuperar o conteúdo do equipamento do atirador. Vídeos que ensinam a atirar, que fazem apologia ao crime e ao terrorismo, técnicas de tortura e farto material sobre os atentados de 11 de Setembro eram os mais procurados e armazenados pelo atirador.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Perdoe.



Por Kátia Mello katia.mello@folhauniversal.com.br
Você consegue perdoar? Uma pesquisa realizada recentemente pela Universidade do País Basco, na Espanha, mostrou que as mulheres têm mais facilidade de perdoar alguém do que os homens. A diferença também existe entre pais e filhos: pais têm mais facilidade de perdoar os rebentos do que o contrário. “O amor pelos filhos é incondicional, principalmente de mãe para filho. O amor permanece igual em qualquer situação, mesmo que o filho esteja na cadeia ou tenha cometido algo que pareça indesculpável. Uma mãe sempre perdoa”, explana a socióloga e sexóloga Maria Helena Matarazzo. Para uma das autoras do estudo, Carmen Maganto, “as mulheres são mais empáticas do que os homens”. O emprego da palavra empatia pela psicóloga se refere à capacidade que as pessoas têm de se colocar no lugar das outras e, portanto, compreender e aceitar o pedido de desculpas. O exercício de procurar entender o que se passa com os outros antes de julgá-los é bom para os indivíduos e a sociedade. Não ao ressentimento O estudo se aprofundou e buscou respostas para as concepções mais populares do que é perdão: em primeiro lugar vem “mostrar remorso”, seguido de “não guardar rancor”. As palavras “compreensão” e “empatia” também foram bastante usadas pelas 140 pessoas pesquisadas, com idades que variavam dos 17 aos 65 anos. “Tem que perdoar e esquecer. Ressentimento é raiva que vai cozinhando em fogo baixo”, define Maria Helena. Crianças e adultos também enxergam o perdão de modo diferente: para os mais jovens o perdão vem com o tempo, e para os mais velhos é o remorso que leva ao pedido sincero de desculpas. O perdão é tão primordial para o bom relacionamento humano que existem institutos no mundo que o defendem e fazem pesquisas sobre o tema, como o Forgiveness Institute (Instituto do Perdão), da Universidade de Wisconsin (EUA), e o Stanford Forgiveness Projects, da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA). “O perdão melhora a capacidade de lidar com o sofrimento e a perda. Quando você perdoa, vê que pode superar a dor sem fazer um inimigo. Você dá novamente um voto de confiança à pessoa sabendo que você é forte o suficiente para lidar com as falhas humanas. Além disso, o perdão alivia o estresse e melhora o sistema imunológico”, conta o psicólogo norte-americano Frederic Luskin, diretor da Stanford Forgiveness Projects. E complementa: “Quando você perdoa alguém, está fazendo um bem principalmente a si mesmo. Rancor e raiva não colaboram em nada, não fazem sua vida melhor, mas o contrário: dão tristeza, atrapalham na recuperação de doenças, podem chegar a causar transtornos físicos e psicológicos.” Quem tem dificuldade de perdoar, pode pedir ajuda. “Seja com terapia, com a religião, por amor próprio ou pelo próximo. O perdão sempre pode ser alcançado”, acredita Maria Helena.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Triste testemunho

Steven esteve na Obra de Deus há quase 2 anos. Nesse período, estava em Bogotá, Colômbia, quando foi transferido para Maicao, no mesmo país, para auxiliar numa igreja. Desde que ele entrou na Obra, sua mãe sempre ligava para saber como estava, e pedia para ele voltar para casa porque sentia muito sua falta, e que estava doente. Sua tia também ligava, falando a mesma coisa. Ele, por sua vez, já não estava envolvido com as coisas de Deus, e sempre reclamava que em Maicao fazia muito calor, a água era fria para tomar banho, que não tinha conforto, entre outras coisas, ou seja, começou a olhar para a condição do lugar, preocupando-se com sua própria vida.
Ele comentou que já não orava, tampouco jejuava, e deixou de se preocupar com as almas que Deus havia confiado em suas mãos, consequentemente, já não tinha comunhão com Deus, até que resolveu abandonar tudo e voltar para a casa dos pais.
Quando chegou a sua cidade, foi até a igreja, procurou o pastor e explicou o caso. Comentou que gostaria de ajudar, que continuaria na igreja, e não queria ser mais auxiliar, somente membro, ou até mesmo obreiro. Mas isso durou apenas uma semana, na qual participou das reuniões, pois no bairro onde morava, encontrou-se com supostos antigos “amigos” que conhecia antes de ir para igreja.
A partir de então, não voltou mais à igreja. O pastor procurou saber o porquê ele não havia mais voltado, mas ele disse que não queria mais ir à igreja, nem queria falar nada. Os obreiros sempre insistiam para ele voltar, mas ele negava.
Começou a sair para festas, bares, ficava toda a noite fora de casa, não escutava mais ninguém, nem a própria mãe. Bebia toda a noite, até perder a noção. Esse período durou quase 4 meses, até que em uma dessas noites, no sábado, dia 7 de agosto de 2010, quando voltava para casa, ele foi abordado por um rapaz que perguntou seu nome e, em seguida, lhe feriu com três tiros na cabeça.
Ele entrou em coma e sua mãe comentou que os médicos disseram que ele já havia perdido um olho, e que era muito grave o seu estado de saúde; que era quase impossível para a medicina, porque ele tinha sangue no cérebro, e se sobrevivesse, seria um rapaz que sofreria com problemas mentais. Ele estava sobrevivendo por aparelhos e o cérebro já não reagia.
Sua mãe diz que ele foi confundido com outra pessoa, e que se soubesse que isso passaria, não o teria deixado sair da Obra de Deus.
Ainda em estado vegetativo, o hospital o mandou para casa. Depois de uma semana em casa, ele faleceu, em 24 de setembro de 2010, numa sexta-feira.
Espalhe por aí:
Publicado por: Bispo Edir Macedo

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Transtornos de personalidade.



Segundo o psiquiatra e professor de Medicina Comportamental da Unifesp, Geraldo Possendoro, a psiquiatria moderna considera que não há consenso a respeito do conceito de caráter e prefere trabalhar com transtornos de personalidade. Eles são divididos em três grupos, de acordo com a forma com que essas pessoas se relacionam com o mundo. 1 - Desconfiança • Paranoide – tendência para a desconfiança extrema • Esquizoide – tendência para o isolamento em pessoas que têm baixa capacidade de socialização • Esquiziotípico – tendência ao isolamento, podendo ter atitudes muito estranhas, para além da excentricidade 2 - Manipulação • Histriônico – pessoa dramática e manipuladora • Narcisista – extremamente voltado para suas próprias necessidades e com baixa empatia com as outras pessoas • Antissocial – extremamente voltado para as próprias necessidades, em detrimento da dos outros, mas podendo ser extremamente sociável para atingir seus objetivos. Em geral comete infrações na pré-adolescência ou adolescência, indo para a vida do crime na fase adulta • Borderline – pessoa altamente instável, dramática e manipuladora 3 - Avaliação feita pelos outros • Obsessivo-compulsivo – indivíduo muito apegado à regra, que pensa muito no que fala e quer estar no controle das situações, tendo dificuldade de delegar • Evitativo – deseja muito o contato com as outras pessoas, mas teme não ser aceito, tendendo ao isolamento • Dependente – precisa ter as decisões muito asseguradas para tomá-las

domingo, 24 de abril de 2011

Igreja Universal do Reino de Deus leva teatro e uma palestra sobre drogas na Fundação Casa de Itaquaquecetuba.


Fundação CASA de Itaquaquecetuba recebe visita da Igreja Universal do Reino de Deus; neste último domingo onde fizeram a festa em mais um evento, com várias atividades para os adolescentes, e famílias presentes. Cada voluntário fez sua parte para que todos sentissem em casa. Enquanto era aguardado o evento a animação ficou por conta da cantora Kaline dos Santos, que cantou e encantou a todos com suas belas canções.








Para dar início ao evento esteve presente,o
Pastor Geraldo Vilhena Coordenador de Evangelização, nas unidades da Fundação Casa de São Paulo, fez uma oração para cada adolescente e na oração pediu a Deus que cada um tivesse forças para recomeçar suas vidas, e principalmente na presença de Deus .deu uma palavra de vida e a importância do novo nascimento, de abandonar as velhas amizades, porque a maioria dos amigos jamais apareceu para visita-los.






Na sequência foi apresentada uma linda peça teatral, que conta a história de um leilão de uma alma. sobre as drogas, prostituição, vicíos, idolatria, ganância bebidas, enfim no fundo do poço vem Jesus e da um lance maior sobre sua alma, resgatando e tirando todas as algemas. a mensagem passada através da peça, que cada adolescente reflita sobre o valor da sua alma , que ela não tem preço,




O leiloeiro



A alma levada para o leilão.



Religião da um lance



A bebida alcólica da outro lance.



A baladas da um lance também




As drogas também da o seu lance


Então chega a morte e diz, as minhas armas principais são estas eu mando todos para destruir as pessoas e no final eu mato. E em seguida deu o último lance.






No final chega o Senhor Jesus e libertou aquela alma pois ele já havia comprado com o seu sangue.










No final da apresentação os integrantes do teatro abraça os jovens e famílias que estão presente












Em seguida os adolescente puderam compartilhar, suas dúvidas através de perguntas e resposta, com o testemunho de vida, Robson de Freitas, 41 anos, ex- viciado em drogas, como crack ,cola maconha, lança perfume, cocaína, entre outras drogas, tudo começou por pura curiosidade do tempo em que estudava começou com 16 anos no colégio, fez de tudo para usar as drogas, vendia seus sapatos, objetos pessoais, mais nada o saciava ,




uma das primeiras perguntas quem fez, foi um adolescente que ainda um pouco tímido tirou forças e perguntou: O que levou você Robson para o mundo das drogas? Robson responde: A pura curiosidade no tempo em que estudava achava bonito a gíria da época .






Mãe pergunta:O que faz a maconha no organismo ? Robson responde:Os efeitos físicos mais freqüentes são avermelhamento dos olhos, ressecamento da boca e taquicardia (elevação dos batimentos cardíacos, que sobem de 60 - 80 para 120 - 140 batidas por minuto).
Com o uso contínuo, alguns órgãos, como o pulmão, passam a ser afetados. Devido à contínua exposição com a fumaça tóxica da droga, o sistema respiratório do usuário começa a apresentar problemas como bronquite e perda da capacidade respiratória.






Marta pergunta: Você Robson já viu alguém morrer na biqueira ? Robson responde: Que o traficante cheirou o pino e viu que estava faltando pois teve reclamações dos usuários, na hora o traficante pegou e passou um canivete no pescoço do rapaz, que caiu no chão agonizando feito um porco.






Edilaine do agente da comunidade pergunta:De 100% quantos amigos seus usaram drogas por causa da estrutura familiar? Robson responde: 70% Já vem da família, pois o pai a mãe já usaram ou usam drogas, e relatou que a estrutura familiar é muito importante os pais tem que esclarecer tudo para seus filhos, sobre as drogas e suas causas. foi um debate bem longo onde todos os adolescentes puderam esclarecer e tirar suas dúvidas, Vi também de perto a dor e o sofrimento de uma mãe, que com lágrimas nos olhos falou que é criticada por todo mundo pois vai visitar seu filho na unidade, e que precisa muito dele lá fora pois só tem ele como neto.







Após um longo debate sobre as drogas, ele pediu a ajuda de quatro adolescente, para puxar uma de suas pernas para surpresa deles saíu uma prótese, em virtude do acidente que teve de moto após cheirar vários papelotes de cocaína.













Robson de Freitas fez uma oração para libertar todos os jovens internos das drogas.





e não poderia ser diferente para realçar a beleza das mães presentes , teve uma equipe que improvisou um salão de beleza com escova, pranchinhas, e manicure











A apresentadora Marta Alves convida os jovens e famílias para comer doces e refrigerantes.





























E também foi feitas a distribuição de centenas de livros Nos Passos de Jesus para os adolescentes, famíliares e funcionários.