sábado, 28 de fevereiro de 2015

Próximo do Templo de Salomão, o Bispo Jadson abençoa as famílias dos internos da Fundação CASA.

Próximo do Templo de Salomão, o Bispo Jadson abençoa as famílias dos internos da Fundação CASA.


São mães com filhos internados na Fundação Casa, viciados em drogas e tráfico, muitas delas estão com os seus maridos no presídio. problemas financeiros, doenças. Em fim são pessoas sofridas e humilhadas pela sociedade este é o perfil destas mães que os voluntários da UNIVERSAL cuidam todas as semana.

Neste primeiro domingo do mês de fevereiro/15 os voluntários da UNIVERSAL se reuniram próximo do Templo de Salomão,  fizeram uma surpresa para estas mães, um almoço especial. 

A primeira tecladista da UNIVERSAL Cristina Miranda, começou o evento com lindas música.



Centenas de livros NADA A PERDER TRÊS do Bispo Edir Macedo foram distribuídos para as famílias dos internos. 














O Livro A ÚLTIMA PEDRA também foram oferecidos para as famílias.







Na oportunidade os voluntários da UNIVERSAL mostraram para as famílias,  os trabalhos feito pelos internos da Fundação CASA usando como o importante material a FOLHA UNIVERSAL.












Um ex-traficante Amauri  liberto dos vícios nas reuniões da UNIVERSAL, conta como foi a sua entrada para o crime e a sua saída.


Também um ex-internos Iarael Fossaluzza da Fundação CASA conta a sua história para todos.


Um ex-criminoso liberto na UNIVERSAL também fala da sua vida passada.


O Bispo Jadson realiza orações para todas as famílias presente dos internos da Fundação CASA.








Apresentação de uma peça teatral cujo o titulo A MORTE SE ENCONTRA COM O EMPRESÁRIO.








Para finalizar o delicioso almoço para todos os presentes.








Algodão doce não pode faltar feito pela voluntária Marcia



Que o Senhor Jesus abençoe.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

“Dominai!”, a ordem do homem de verdade

“Dominai!”, a ordem do homem de verdade

Dominar: Ter autoridade ou poder sobre algo

Mais de dez mil homens estão prontos para dominar. Qualquer situação que vinha exercendo controle sobre eles até então agora faz parte do passado. Isso porque, no último sábado, dia 08, esses homens lotaram oTemplo de Salomão, em São Paulo, no primeiro evento da Universal destinado exclusivamente para homens: oDominai.
Um homem pode se preparar para ser pintor, aprender a manejar o pincel, usar a tinta, mudar a cor da parede. Ele pode ter o dom da pintura, mas, se no dia do trabalho, recusar-se a  pegar o pincel nas mãos, recusar-se a mudar a cor da parede, ele nunca será um pintor. Com esse exemplo, o escritor e palestranteRenato Cardoso definiu o que alguém pode ser sem exercer a função que Deus lhe destinou. “Quem não domina jamais será homem”, afirmou. “Esse alguém será como qualquer outra besta do campo, um animal.”
O homem foi criado para dominar, governar o mundo e todas as coisas que estão nele. Isso é dito em uma das primeiras passagens da Bíblia, ainda em Gênesis, e deveria ser seguido à risca. Entretanto, por mais que os homens neguem, a maior parte deles possui algo em sua vida controlando seus pensamentos e movimentos.
“Infelizmente, a maioria dos homens não têm se dominado. Uma garrafa, um cigarro, um rabo-de-saia. Videogames, balada, gula, preguiça... Tudo isso pode escravizar um homem que se deixa dominar. Por isso estamos trabalhando nisso, para começarmos a dominar o que quer que esteja nos dominando”, afirmou Renato Cardoso.
Expedito de Andrade, aos 60 anos, confessa que ainda se deixa dominar por algo que, a primeira vista, parece simples, mas, ao se prestar atenção, pode causar muitos transtornos. Expedito não consegue dizer “não”. O jardineiro aposentado conta que sempre acata todos os pedidos e ordens que recebe, mas afirma que daqui para frente tudo mudará. “Tudo o que eu ouvi aqui hoje é o que eu estava vivendo, mas a partir de hoje tenho as ferramentas para mudar isso. Minha vida mudará!”






Essa nova confiança é visível em todos os homens que assistiram à reunião, como em Moacir Filho, que, aos 30 anos, garante que agora está pronto para modificar sua vida. “A palestra foi bem educativa”, garante. “Agora estou com o pensamento mais confiante até mesmo para iniciar os desafios IntelliMen”.
Como disse Renato Cardoso, as informações foram passadas. O que fazer com elas depende de cada um. 
Ao longo de quase 40 anos de atividade, a Universalse aperfeiçoou em oferecer assistência especializada àqueles que mais necessitam dela. Jovens evangelizam jovens, pessoas que já sofreram com dependência química lideram trabalhos com dependentes, mulheres que venceram as barreiras que a vida impôs coordenam projetos como T-Amar e Raabe.
Esse “conhecimento de causa” dos evangelizadores faz com que eles compreendam melhor e possam se aproximar mais daqueles que estão precisando de ajuda, seja essa ajuda para se livrar da vida do crime ou melhorar seu relacionamento matrimonial.







Por isso não poderia faltar um testemunho de alguém que se livrou da escravidão. Thiago Ribeiro é tetraplégico, mas não inválido. Há seis anos foi atropelado e teve o pescoço quebrado ao meio. Desenganado pelos médicos, passou 67 dias sem sentir ou falar, mas recusou-se a desistir.
Thiago dominou seu problema. Foi aconselhado a se aposentar por invalidez, mas não se permitiu fazer. Mesmo tendo movimentos apenas na cabeça e nos ombros, voltou a estudar para seguir seu sonho. Esforçando-se, recuperou movimentos primários nos braços e hoje é capaz até de dirigir. “O que faço hoje é resultado de não aceitar viver como os médicos quiseram”, afirmou o jovem. “Encarei primeiro os desafios pequenos, como engolir o café sem canudinho, e depois passei a encarar desafios maiores. Hoje estou me formando em Direito e trabalho no Tribunal de Justina de Minas Gerais. A tetraplegia exige domínio diário. Se você não dominar o que está ao seu alcance, você se perde.”


Próximo do Templo de Salomão, a UNIVERSAL ofereceu um grande almoço para as famílias dos internos da Fundação CASA.
O Grupo de voluntários da UNIVERSAL que realizam um importante projeto  dentro das unidades da Fundação CASA no estado de São Paulo,oferecem um grande almoço próximo ao Templo de Salomão para as famílias dos internos.

Neste último domingo aconteceu este evento.A primeira tecladista e cantora da UNIVERSAL Cristina Miranda   alegra  os presentes com canções alegrando a todos.


O Pastor Geraldo Vilhena (Coordenador de evangelização em unidades da Fundação CASA de São Paulo.) inicia o evento  ressaltando  que os jovens internos são  vítimas de  legiões de espíritos malignos, que os leva para as  drogas e a criminalidade em geral.Mas quando eles se  libertam destes espíritos através da fé,voltam ser pessoas idôneas para sociedade.


Como aconteceu com o palestrante  Amauri que fala de suas experiências no mundo do crime e drogas.Começou aos 11 anos de idade  no contrabando de armas e munição, depois foi gerente de boca  no trafico.Chegou a bater em seu próprio Pai ,era agressivo quando estava sob efeito das drogas.Mas sua mãe nunca  desistiu de lutar pela sua recuperação.Ela já buscava em oração e propósitos na igreja  e  DEUS  honrou sua fé , até que um dia cansado daquela vida resolveu  sair entregando todas as armas  e munição no altar da DEUS.Comenta que levou sete meses  para  se libertar totalmente da vontade das drogas.Hoje passados 19 anos que esta liberto ,e tem uma vida e família abençoada. 

Como também a Sr Ana Campos que era alcoólatra 

Nelson viciado em varias drogas

Walter também cheio de vícios

Laudilino ex- assassino 

Senhora Marcia  era  cheia de magua, orgulho

Após as palestras o pastor Geraldo Vilhena junto com os voluntários realizam oração da fé para arrancar o mal de todas as famílias .

Veja nesta foto mostra pessoas se libertando dos espíritos malignos 

Após esta  libertação foi servido delicioso almoço para famílias .Almoço este com muita variedade de pratos sobremesas,algodão doce e sorvetes , tudo preparado com muito carinho pelas voluntárias.

Algodão doce feito na hora.

Para  fechar com chave de ouro este evento ,foram doados muitos exemplares do livro A ULTIMA PEDRA onde os adolescentes e suas famílias terão acesso  a muita  informação do mal que as drogas fazem.