sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Descubra em cinco passos como se livrar desse hábito de empurrar as obrigações e procrastinar as tarefas

Leia depois se for brasileiro

Descubra em cinco passos como se livrar desse hábito de empurrar as obrigações e procrastinar as tarefas








Depois do almoço, depois da novela, depois de amanhã. Quando você se dá conta, quantas tarefas não estão acumuladas na sua vida por ter deixado tudo para “depois”? Se isso pareceu familiar, saiba que você não está sozinho e enfrenta um dos piores inimigos do ser humano de todos os tempos: a procrastinação.
Essa palavrinha feia, que ganhou ainda mais força na era virtual, pode ser a responsável pela bagunça no seu dia a dia. A janela que literalmente se abriu com o advento da internet proporcionou ao homem moderno a possibilidade de se entreter infinitamente. Duvida? Então acesse o YouTube e confira quantas visualizações já receberam os vídeos mais tolos compartilhados na rede. São milhões de internautas no mundo inteiro deixando aquele relatório que o chefe pediu para depois de assistir ao vídeo do “gatinho que toca piano” ou do “cãozinho arrependido depois de aprontar”.
Esse mal é tão comum que já existem até aplicativos que bloqueiam o acesso do usuário a sites que o levem a procrastinar no lugar de manter o foco. E, sem foco, como é que a pessoa consegue cumprir prazos? Deixar para estudar no último momento não é uma estratégia muito inteligente para passar no vestibular do tão sonhado curso superior. Desperdiçar o tempo com redes sociais não é aconselhável quando você trabalha com metas. Ou ficar jogando online não é a melhor opção quando você precisa colocar sua vida em ordem.
Aliás, por falar em jogos online, foi no famoso game de doces ultracoloridos Candy Crush que a administradora de empresas Aline Mara Alves de Andrade, de 26 anos, de Santos, litoral de São Paulo, descobriu que guloseimas também viciam no mundo virtual e podem ser tão prejudiciais como na vida real.
Ao baixar o aplicativo em seu celular, ela passava boa parte do dia conectada jogando. “Quando não estava fazendo nada, estava jogando. É um vício”, confessa ela, que está noiva e acabou de se formar. “Quando eu percebi que estava tomando muito do meu tempo, deletei o aplicativo do celular. Simplesmente não dava mais. Eu tinha questões do meu casamento para resolver que certamente eram mais urgentes”, conta.






Mas acalmem-se Aline e todos os outros viciados em joguinhos online. Esse problema provém de um mal recente e para o qual felizmente já existe diagnóstico. Alguns psicólogos de várias partes do mundo relacionam o vício no famoso jogo de doces a um distúrbio psicológico conhecido como “efeito Zeigarnik”, em homenagem ao psicólogo russo e pai desse estudo, Bluma Zeigarnik. Após analisar o comportamento de alguns garçons em sua atividade de trabalho, Zeigarnik concluiu que o cérebro deles memoriza os pedidos dos clientes até que tudo tenha sido entregue na mesa. A mente fica incomodada com a tarefa incompleta. Quando tudo está resolvido, o garçom apaga o pedido imediatamente da memória para se fixar em um novo cliente.
A procrastinação é tão comum no ser humano que já virou tema de estudo aqui e lá fora. No Brasil, o empreendedor Christian Barbosa é especialista em gerenciamento de tempo e produtividade pessoal e defende que navegar na internet é a principal causa de procrastinação das pessoas. Uma pesquisa feita por ele constatou que 71% das pessoas admitem que procrastinam e 86% confessam que preferem deixar para depois tarefas consideradas chatas.
Barbosa diz que é muito comum ouvir pessoas reclamar da falta de tempo, mas que o primeiro passo para resolver esse problema é justamente mudar essa visão. “Se você fica alardeando para todo mundo que está correndo ou que não tem tempo, então essa será sua realidade. Para ter mais tempo, mude primeiro a forma como você expressa isso em seu dia a dia”, orienta. “Você perceberá que tem tempo. Só não enxerga isso porque criou um bloqueio.”
Já de acordo com um dos principais pesquisadores de ciência da motivação e procrastinação do mundo, o canadense Piers Steel, autor do livro “A equação de deixar para depois”, os números são maiores. Com base em pesquisas em diferentes países, ele acredita que aproximadamente 95% das pessoas adiam tarefas. “O verdadeiro motivo pelo qual as pessoas procrastinam é parcialmente genético e pode ser rastreado em uma parte do cérebro, o que responde porque a procrastinação pode ser vista em praticamente todas as culturas e em todos os tempos, mas isso não significa que o ambiente em que a pessoa está inserida também não seja responsável. Não é ele quem cria a procrastinação, mas é ele quem define sua intensidade”, define em seu livro.
Agora, só depois da Copa...







Se o exemplo mais célebre de postergação de tarefas dos brasileiros é deixar tudo para depois do carnaval, este ano o País conta com outro tipo de circo. A Copa do Mundo que será sediada no Brasil promete roubar a atenção do povo apaixonado por futebol. Se é paixão, com certeza todas as outras atividades ficarão para segundo plano. Mas, se todos param para assistir às partidas, como é que o país anda?
Aliás, os atrasos nas obras da Copa do Mundo são a maior prova de que o brasileiro sabe como ninguém deixar tudo para a última hora. Estádios, hospitais e aeroportos que seriam fundamentais para o grande evento esportivo acontecer com harmonia ainda estão na metade da obra e provavelmente ficarão prontos nos 45 minutos do segundo tempo. Joseph Blatter, presidente da Fifa, não escondeu a ansiedade e o nervosismo para que o grande evento futebolístico saia como manda o protocolo. Em meio a declarações polêmicas, ele afirmou que “é a primeira vez que um país que teve sete anos para se organizar está atrasado”.
Se vamos vencer a Copa do Mundo ainda é um mistério. Mas ao menos já provamos ser os melhores do mundo na arte de enrolar. Enrolar o chefe no trabalho, a professora na escola, a namorada que quer casar. No entanto, será que o principal enrolado não seria justamente aquele que deixa tudo para depois? Afinal, quem enrola é o mesmo que perde tempo e deixa a própria vida para depois.



UNIVERSAL NA FUNDAÇÃO CASA























Neste último domingo  na unidade da Fundação Casa em Franco da Rocha os voluntários da IURD realizaram um evento para os familiares e internos.




























 Na oportunidade foram efetuadas as seguintes prestações de serviços: cabeleireiros (cortes de cabelo e escovas), manicure, maquiagem. Os funcionários também puderam desfrutar destes benefícios e mudaram o visual.








































Foram realizadas palestras sendo os temas : "Começar de 
Novo" com a palestrante Ana Maria informando que se cometemos algo errado devemos começar de novo, nos dar esta chance, pois todo ser humano tem um grande potencial dentro de si."Prevenção de Drogas" com a palestrante Marta Alves, que levou os internos a reflexão sobre os malefícios causados pelas drogas e que os mesmos tem o direito de escolha e dizer NÃO ás drogas. Esse tema causou um grande interesse pelos internos, que participaram com perguntas e sugestões para deixar a dependência química




















O pastor Geraldo Vilhena coordenador de evangelização nas unidades da Fundação Casa de São Paulo orou pelos internos e esclareceu sobre nossas emoções. Que muitas das vezes cometemos um erro por que não sabemos nos conter, e que o resultado nos leva a pagar um preço muito caro. Mas quando temos uma comunhão com Deus, o Espírito Santo nos ajuda a controlar estes instintos e passamos a viver uma vida de alegria.A coordenadora Salma ficou satisfeita com o evento e relatou que este tipo de iniciativa reflete nos internos, pois eles começam a mudar o comportamento acreditando que eles são capazes de mudar a situação de suas vidas (auto-estima)





































Foi distribuido pipocas, algodão doce, refrigerantes e sorvetes para os internos e famílias. Tudo isto num clima de muita alegria e satisfação. 

























































quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Não dá para fingir para si mesmo.


Todos nós temos duas realidades, a nossa e a de Deus. A nossa é aquela 
que estamos vendo, vivendo, cercada pelos nossos familiares, amigos e 
conhecidos. Onde os problemas são reais, as lutas constantes, situações
 impossíveis por todos os lados, e os desafios que nos colocam à prova
 toda hora. Não adianta alguém dizer que é diferente, não dá para fingir 
para si mesmo, é a nossa realidade e pronto.
Por isso há dificuldade quando se apresenta a fé no Senhor Jesus como 
solução para mudar de vida. É como se uma voz falasse: "Isso tudo que 
você está ouvindo é bonito, até interessante, mas não se esqueça da sua 
realidade".
Abraão vivia com a família, parentes e amigos; estava estabelecido na terra
 de Ur, essa era a sua realidade. Um dia, Deus apareceu para ele e, em 
outras palavras, lhe disse: "Larga tudo e vem para Minha realidade". Ele 
não disse sim nem não, simplesmente partiu, considerou como uma ordem 
de Deus.
Doutra sorte, Abraão estava feliz, pois tudo o que Deus havia lhe prometido acontecera. As promessas se cumpriram, havia prosperidade, onde ele 
colocava as mãos era abençoado, havia valido a pena ter largado tudo para
 ouvir a voz de Deus, parecia que não faltava mais nada, e nada mais 
precisava acontecer, essa era sua realidade.
Um dia, Deus lhe disse: "Pega teu filho, que tu amas, e o sacrifica para Mim". 
Mais uma vez Deus o chamava para deixar a sua realidade e entrar na
 realidade do Reino dos Céus. O final você já sabe, senão leia em Gênesis 22.

A verdade é a seguinte: Se você está cansado de ver pessoas contando as maravilhas de Deus em suas vidas, testemunhos e mais testemunhos de 
pessoas que foram transformadas, faça o que elas fizeram.
Nós somos filhos da fé de Abraão por quê? Porque obedecemos. Essa fé da obediência à Palavra de Deus é que vai tirá-lo da sua dura realidade para a 
realidade de Deus, você irá do "i" dos impossíveis para o "p" dos possíveis,
 porém a decisão sempre é nossa.
Inclusive temos visto pessoas que passaram algum tempo vivendo no Reino
 dos Céus, mas sentiram saudades e voltaram para sua realidade, não
 precisa nem dizer que a vida delas é um verdadeiro inferno.

UNIVERSAL NA FUNDAÇÃO CASA



 Para alegrar  os adolescentes da Fundação Casa de Fazenda do Carmo e a UNIVERSAL, esteve presente neste último domingo, levando um evento com muitas atividades voltadas para os internos e famílias,

 Para dar início ao evento, o Pastor Sansão da UNIVERSAL (Cenáculo do bairro de Tiradentes) Fez uma oração especial  pela libertação dos internos da casa, e deu uma palavra sobre a importância da família


Em seguida, Amauri (ex traficante) da início ao debate sobre as drogas, relatou suas experiências no mundo das drogas além de usuário era traficante de drogas e armas, ficou durante 10 anos, no mundo do crime.disse ele: comecei socialmente, quando vi, já estava usando todos os tipos de drogas.

Noel Fernandes obreiro do Cenáculo do Brás fala para os jovens que por trás dos vícios existe uma força do mal: E que somente o Senhor Jesus pode liberta-los finalizou.
 Em seguida foi feita a apresentação da peça teatral o leilão de uma alma, apresentada pela força jovem Brasil essa peça, tem por finalidade mostrar o grande valor da alma humana, que somente o Senhor Jesus pagou um alto preço pela vida da humanidade. todos os adolescentes nessa hora da apresentação ficaram em silêncio, creio que está peça tocou fundo, em cada um.
 
 
 
 
 
 

 
Para finalizar foi servido para os internos e famílias doces e refrigerantes.


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Surgiu um desejo diferente dentro de mim, um desejo por pessoas do mesmo sexo.


Aos 14 anos de idade comecei a trabalhar na 
empresa em que meu pai trabalhava e, a partir
 daí, comecei a conhecer um outro mundo, logo
 surgiu um desejo diferente dentro de mim, um 
desejo por pessoas do mesmo sexo. A cada dia 
que passava, e também por influência de amizades, 
esse desejo só aumentava.
Depois de certo tempo, minha família mudou-se 
para zona leste de São Paulo. Nesta época, 
meus pais começaram a desconfiar, porém eu 
mentia dizendo que estaria em um lugar, estando
 em outro, essa situação ficou tão crítica que meus 
pais não acreditavam mais em mim. Para ir às 
baladas e festas, chegava a roubar dinheiro e 
cartão de crédito dos meus pais, a fim de 
sustentar meus luxos. Num certo dia, minha mãe
 chegou no meu quarto, trancou a porta e perguntou
 se eu era homossexual, respondi com certo tom
 de ironia dizendo que sim.
Ali vi que feri muito a minha mãe, ela ficou um 
tempo sem falar comigo, e por mais que eu tentasse 
convencer a mim mesmo de que aquilo era normal,
 dentro de mim eu sofria, e muito. Até que um dia,
 discutindo com a minha mãe, meu pai chegou do 
trabalho e já foi me agredindo. Eu saí correndo porque 
vi que ele iria me espancar se eu ficasse ali parado,
 fui para casa da minha tia onde fiquei até minha
 mãe me chamar para voltar para casa.
Foi então que meus pais se mudaram para o 
centro de São Paulo. Ali eles tiveram outra decepção
 comigo, pois comecei a me vestir como mulher. 
Passei a fazer shows na noite como drag queen
chegando a me prostituir na rua para conseguir
 algum dinheiro.
Sofrendo com muitas decepções e tentando uma 
solução, meus pais se mudaram novamente, dessa
vez para Guarulhos. Porém, lá conheci pessoas que 
me fizeram conhecer o fundo de poço, ficava todos os 
dias nas ruas me prostituindo, isso era terrível. 
Na internet, conheci uma pessoa pela qual me 
apaixonei e comecei a namorar. Através dele 
conheci o , a famosa “balinha”, e toda vez que
 eu saía, só queria usar aquela droga, estava viciado.
 Contudo, quando terminei o relacionamento com 
essa pessoa, comecei a ter mais contato com dois 
"amigos" do bairro e conheci a cocaína.
No início, era como eu falava "tudo de bom", mas as 
coisas começaram a sair do controle, e toda noite, 
todo final de semana, queria usar mais e mais. De 
uma forma como nunca imaginei, ia até as bocas de 
fumo para comprar mais droga. Cheguei ao ponto 
de me prostituir para conseguir a droga e andava 
pelas ruas à noite, totalmente drogado, na sede de 
encontrar alguém para me prostituir e comprar 
mais droga.
O que mais me doeu foi quando um dia usei muita 
cocaína e, ao entrar em casa, não percebi que um 
pouco da droga ficou na ponta do meu nariz e minha
mãe viu. Aquilo acabou com ela, e dentro de mim 
abriu um buraco enorme. Essa situação me jogou 
ainda mais para o fundo do poço. Nas noites em 
que eu perambulava pelas ruas, Deus me livrava 
da morte e eu não via isso, até que um dia consegui
 um emprego, e ali Deus usou uma pessoa pra me 
abrir os olhos e eu despertei. Disse a mim mesmo: 
“Tenho que mudar a minha vida, estou vendo não o 
Ednei, mas um corpo sem vida”.
A partir daquele momento, passei a frequentar as
 correntes de libertação na Universal e lutei para 
mudar a minha história. Foi quando uma obreira me
 convidou para participar da Caravana do Resgate e,
 naquela reunião, Deus falou de uma tal forma comigo
 que me lancei por inteiro, me batizei nas águas e 
dali por diante eu enterrei de uma vez por todas o 
meu velho eu, deixei o velho Ednei. Parei de fumar, 
usar drogas e me prostituir. Comecei a buscar o 
Espírito Santo com todas as minhas forças, pois 
percebi que precisava dEle. E num domingo pela 
manhã, recebi o Espírito Santo, dali em diante, 
Deus começou a trabalhar no meu interior e me 
tornei definitivamente uma nova pessoa.
Hoje a minha vida é outra, quem me vê hoje na rua
 fala que sou diferente, que eu tenho algo bom no
 olhar e que transmito algo diferente para as 
pessoas. Não tenho mais tristezas, vazios, vícios,
 não me prostituo mais e larguei a 
homossexualidade. Sou um homem feliz e 
realizado, enfim, estou totalmente transformado, 
por dentro e por fora.
Ednei
Veja como eu sou agora...



UNIVERSAL NA FUNDAÇÃO CASA


Esse tem sido uns dos trabalhos social da UNIVERSAL  
na Fundação Casa de São Paulo, que inicia o ano com 
chave de ouro, o trabalho não para, começa o ano com 
um almoço todo especial para as famílias dos internos da Fundação Casa, .Em cada detalhe os voluntários da UNIVERSAL que organizam as mesas, as decorações, 
cada voluntario disponibiliza seus carros para trazer as 
famílias de cada unidade,  nesse encontro as famílias 
recebem uma palavra de salvação, Cristina Miranda inicia 
o evento com suas belas canções, 

Pastor Geraldo Vilhena responsável pelo trabalho nas 
unidades da Fundação Casa, deu uma palavra de 
salvação, porque o que semeia com sua carne da carne,
 colhe para corrupção, não cansemos de fazer o bem, 
tudo o que plantamos nos colhemos, se a sua decisão 
  você tomar um caminho errado , então vamos colher, 
mais a partir do momento que plantarmos coisas boas irem  colher coisas boas, disse ele

dando segmento ao evento. Giovani Andrade, lutador, treinador, ex menino de rua, falou da dificuldades que 
passou. Que todo sonho do nordestino e vir para 
São Paulo, e mudar de vida,  meu sonho era comprar 
uma panela de pressão para minha mãe, pois ela ficava
 horas e horas cozinhando um feijão, aqui em São Paulo
 as vezes para me aquecer entrava nos ônibus para me aquecer, pois era lotado e eu me encostava nas senhoras
 e me sentia aquecido, quando cheguei na IURD, eles me abraçaram e me ensinaram , apreendi a ser um cidadão de bem, hoje tenho uma família abençoada, viajo para todos 
os continentes, hoje o esporte e minha vida,  hoje sou 
campeão do mundo com 13 vitorias por nocaute, os jovens
 hoje em dia. Precisam de ajuda, e ajuda vem de dentro de casa, vamos entender os nossos filhos, vamos acreditar, as vezes os jovens crescem no meio da violência, a fonte e a família não olhar para os defeitos dos filhos, ais acreditar
 que eles são capazes, só existe uma família buscar o 
reino de Deus, e vocês irão vencer todas as as suas lutas
 por nocaute. 



Robson de Freitas ex-usuário de drogas e assaltante de 
motos também deu seu testemunho falou da importância 
de perseverar pelos seus filhos, 

Amauri ex- traficante diz, fale olhe para seus filhos com os olhos da fé. 

Dando sequencia ao evento foi apresentado uma teatro 
cujo o nome NO VALE DA SOMBRA DA MORTE.


Nesta foto um homem um dia foi traído pela esposa então desesperou-se, em consequência foi vitima de todas as desgraças deste mundo. 







No final o Senhor Jesus liberta este homem das correntes
 do mal.


Então chegou o momento da oração da fé para libertar as famílias dos trabalhos de bruxarias e feitiçaria que 
causaram a prisão dos jovens internos da Fundação Casa.  

Os voluntário da UNIVERSAL que fazem a obra de Deus na Fundação Casa, usam a fé para libertar  estas famílias das bruxarias






todos saborearam um delicioso almoço  oferecido pelos voluntários UNIVERSAL.





Os voluntáriios da UNIVERSAL da para as famílias o 
calendário com a foto do templo de 2014



Os voluntários aproveitaram o momento para entregar 
para as famílias os trabalhos feito pelos internos da 
Fundação Casa com a Folha Universal.

Dezenas de livros NADA A PERDER foram entregues 
para as famílias













CLIQUE NO LINK ABAIXO