sábado, 30 de novembro de 2013

O ingresso maciço de menores em atividades criminosas, por causa de quedas do salário real ou piora na distribuição de renda, explica quase todo o aumento dos homicídios nos Estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais desde os anos 80 até os dias atuais



A entrada de jovens brasileiros para o mundo do crime vem ocorrendo cada vez mais cedo, e por isso o assunto tem sido motivo de preocupação e debate dentro da ONU, além de servir como matéria de capa para diversas publicações estrangeiras. Um estudo realizado por economistas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que as grandes crises econômicas têm atuado diretamente para a crescente participação infanto-juvenil na criminalidade. O ingresso maciço de menores em atividades criminosas, por causa de quedas do salário real ou piora na distribuição de renda, explica quase todo o aumento dos homicídios nos Estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais desde os anos 80 até os dias atuais, conclui o estudo. “Durante os períodos de acentuada crise, é comum a taxa estadual de homicídios por 100 mil habitantes saltar mais de 200% em algumas áreas do País”, registra a pesquisa. Ao entrarem no crime, os adolescentes praticamente selam o seu destino: a grande maioria acaba sendo assassinada antes dos 30 anos. Outro dado dramático revelado pelo estudo é o fato de que os que sobrevivem quase nunca retornam à vida de estudo e trabalho honesto, mesmo quando a economia se recupera. Ainda em suas páginas, o relatório explica de forma amarga a queda do número de homicídios entre jovens e a consequente diminuição da criminalidade (ainda insatisfatória) verificadas nas principais capitais brasileiras nos últimos dez anos. “Essas ondas de violência vão caindo lentamente à medida que os jovens criminosos vão se matando uns aos outros. Portanto, a aparente queda da criminalidade entre esse grupo, na verdade, é o resultado do crescimento da violência ”. Segundo a Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, cerca de 70% dos menores que conseguem sobreviver a esse cenário acabam se tornando reincidentes, ou seja, voltam a cometer, com a mesma frequência, outros crimes depois de cumprir pena, provando que o sistema tutelar que os assistiram não foram capazes de cumprir o verdadeiro objetivo para o qual foram criados.




Voluntários e Jovens da Igreja Universal do Reino de Deus estiveram presentes, neste último sábado, na Fundação Casa internato Pirituba, levando alegria e vida, em mais um evento com várias atividades para os internos, seus familiares e funcionários. Para dar início ao evento, esteve presente o Pastor Luis Eduardo Novaes responsável pela força jovem Universal, contou seu testemunho que tinha tudo, uma família bem estruturada financeiramente, mais tudo isso não foi o suficiente pois entrou para o mundo das drogas , no fundo do poço conheceu o SENHOR JESUS e teve sua vida transformada, falou sobre a corrente do mal e estava apresentando para os adolescentes a corrente do bem a qual irá mudar suas vidas para sempre. e fez orações por todos os presentes. Também esteve presente, o Pastor Geraldo Vilhena Coordenador Estadual de Evangelização, nas unidades da Fundação Casa de São Paulo.




UNIVERSAL NA FUNDAÇÃO CASA.

  
 






Um ex internos da Fundação Casa Amauri e Gleidson Ferreira de Medeiros deu seu testemunho falou da transformação que teve com a ajuda do trabalho da IURD, falou das más experiências que teve com as drogas, passou por várias unidades dentre elas: Imigrantes, Tatuapé, Brás.







A CIA Teatral Força Jovem apresentou uma peça que emocionou a todos os presentes, a peça conta a História de uma pessoa. Leiloa-se uma alma, Leilão de uma pessoa sobre sua alma, a primeira que vem da o primeiro lance, foi a religião, o segundo lance prostituição, terceiro lance bebidas, curtição, quarto lance foi a ganância, e drogas, e por último a morte que deu um lance maior, já no último suspiro, vem Jesus que resgata sua alma tirando todas as correntes do mal, e lhe dá uma nova chance.
























Foi feita distribuição para todos, de centenas de livros a voz da fé do Bispo Macedo, revistas, plenitudes,










e um diploma para todas mães.  



Para a alegria dos adolescentes foi servido sorvete, pipoca, refrigerante 

e algodão doce. 
     










Para finalizar o Pastor Luis Eduardo fez uma oração de entrega e falou de todos os cursos e projetos que a força jovem tem dentro da IURD, como cursos de inglês, judô e muitos mais e deixou um convite para todos os adolescentes para participar de todos os projetos que a IURD oferece.