quarta-feira, 31 de julho de 2013

O espelho para uma nova vida

O espelho para uma nova vida

Voluntários da Universal são exemplos de renovação para menores da Fundação Casa

Por Andre Batista / Imagens: Cedidas
andre.batista@arcauniversal.com



Aos onze anos de idade Amauri iniciou sua vida no tráfico de drogas. Primeiro, passou a consumir junto com outros meninos. Aos poucos, viciou-se e, ainda criança, conheceu todos os tipos de drogas que circulavam nas ruas.
Envolvido no consumo de entorpecentes, não demorou muito para Amauri fazer parte do mundo do crime. Traficou armas e munições por muito tempo. Impossível saber quantas vidas foram prejudicadas pelo mal que encontrou abrigo em Amauri.
“Eu precisava de pessoas ágeis para me ajudar no tráfico, então contratava crianças de dez, onze anos para fazer o trabalho”, relembra. “Aqueles meninos eram contratados por serem ágeis. É o que acontece no tráfico até hoje.”
Amauri permaneceu no tráfico de armas por cerca de dez anos e, não fosse a persistência de sua mãe, estaria até hoje, isso se algo pior não lhe acontecesse. A mãe de Amauri permaneceu orando pelo filho e participando das campanhas da Universal durante todo o tempo em que o mal dominou o filho. Graças a ela, ele foi liberto, e hoje faz parte do time que luta - mas pela paz.
Mais perto do jovem
Só é possível falar com propriedade sobre um assunto quando se conhece o mesmo com profundidade. Para conversar com um marceneiro sobre marcenaria, por exemplo, é preciso entender sobre os métodos de trabalho, os tipos de madeira e todos os detalhes que envolvem a profissão.
Por isso a Universal consegue chegar tão próximo aos jovens que visita na Fundação Casa. Os obreiros e pastores que visitam os internos são profundos conhecedores do amor de Deus. Conhecem de perto as mudanças que o Senhor é capaz de realizar na vida de alguém e, por isso, são capazes de falar diretamente ao coração dos menores.
“Somente em uma das unidades em que estamos realizando o trabalho de evangelização já foram batizados cinco jovens!”, garante a voluntária Ana Campos. “O Espírito Santo tem operado grandemente, e o resultado tem sido muito proveitoso.”
Entrega da vida

Robson começou a usar drogas aos 13 anos de idade. Quis experimentar com os amigos da escola para ver como se sentiria. Cheirou cocaína e se viciou. Como todo dependente químico, passava por momentos de alta agressividade, quebrando quase tudo dentro de casa. Especializou-se no roubo de motos e carros e se entranhou cada vez mais no crime e no vício.
“Quando vinham me falar de Deus, eu respondia que o meu deus eram as duas armas que estavam na minha cintura”, lamenta. “Cheguei ao ponto de cheirar cocaína na mesa de casa.”
Dois fatores contribuíram para a salvação de Robson. O primeiro deles foi o apoio de sua família. “A participação da família na libertação do jovem é muito importante, pois o mal vai tentar manipular ele novamente assim que estiver fora da Fundação Casa”, conta.
O segundo, e decisivo fator, foi a entrega a Deus. Robson acordou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após sofrer um grave acidente de moto. Mesmo o motivo sendo o uso de drogas, sua mãe estava presente, ao seu lado. Naquele momento, Robson percebeu que precisava mudar de vida, mas não tinha forças. Entregou tudo nas mãos de Deus.
Exemplos para os mais novos
Hoje, Amauri e Robson são obreiros. Dedicam seu tempo a conversar com outros jovens para que não cometam os mesmos erros até ser tarde demais. Conhecendo por dentro os problemas do vício e do crime, entendem os menores da Fundação Casa e sabem do poder de reação que um cristão tem.
Recentemente, durante um almoço realizado junto a internos e familiares, contaram mais uma vez suas histórias, incentivando a recuperação de quem está pagando por seus delitos.
O pastor Geraldo Vilhena, responsável pelo trabalho realizado junto à Fundação Casa, coordenou o evento apresentando diversos testemunhos e fazendo orações pelos jovens e seus familiares, além de doações de livros, CDs e alimentos.
Ao final, a integração entre voluntários da Universal, menores e familiares. Todos pelo bem comum.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Internos da Fundação Casa são batizados

Internos da Fundação Casa são batizados

Jovens assistiram a reunião no Brás, se batizaram e conheceram as instalações do futuro Templo de Salomão

Por Cinthia Meibach
 2  0  0 Orkut0 Google +0  0

Jovens infratores que cumprem medidas sócio-educativas na Fundação Casa, no estado de São Paulo, recebem semanalmente o apoio espiritual dos voluntários da Igreja Universal do Reino de Deus, que levam a eles mensagens de fé e de esperança. Durante os encontros, os internos são orientados, à luz da Bíblia, a manter um bom comportamento dentro e fora da Unidade de Internação. Os voluntários também proporcionam momentos de descontração com a apresentação de peças teatrais e de bandas musicais.
Neste último domingo, algo diferente aconteceu. O juiz responsável pelos internos da Unidade de Bela Vista, localizada na zona norte da capital paulista, liberou quatro jovens para participarem da “Reunião do Encontro com Deus”, na Igreja Universal do Reino de Deus, no bairro do Brás, sob os cuidados de funcionários e do diretor da Unidade, Marcelo José Pogolom.
Durante a reunião, os internos acompanharam com atenção os ensinamentos dados pelo responsável evangelístico da região, bispo Guaracy Santos, que enfatizou a importância de abandonar os maus costumes e começar uma vida longe do pecado. Tocados pelas mensagens de fé e pelas orações, os jovens decidiram se entregar a Deus por meio do batismo nas águas.
Um dos internos, J.M., de 16 anos, que já havia se batizado em outra ocasião, fez questão de relatar a mudança que aconteceu dentro dele, após o batismo nas águas: “Agora que estou batizado no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, estou aliviado. Eu sinto que toda a maldade que havia dentro de mim saiu dando lugar a uma certeza de que Deus está comigo.”
Após a cerimônia, os adolescentes tomaram café da manhã e receberam mais orações do Coordenador Estadual de Evangelização na Fundação Casa, pastor Geraldo Vilhena. Para ele, poder acompanhar a transformação de vida de cada interno, é algo gratificante. “Procuramos levar aos internos o conforto espiritual, e por causa disso, muitos têm aceitado com interesse a Palavra de Deus e mudado de vida. Temos constatado o resultado do nosso trabalho quando estes decidem se batizar e, aqui fora, nos procuram, querendo dar continuidade ao que aprenderam enquanto reclusos", relata
Para finalizar a visita, os adolescentes foram levados pelo pastor Geraldo até ao local das futuras instalações do Templo de Salomão (foto acima), onde puderam ter a dimensão do novo templo que está por vir.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Porta do inferno

Arqueólogos afirmam ter encontrado entrada para o submundo citada em Apocalipse


 
Segundo o site Discovery News (foto acima), arqueólogos italianos descobriram na cidade antiga de Hierápolis, na atual Turquia, o que consideram ser a entrada de uma caverna citada em Apocalipse:
“O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo.
Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar.” Apocalipse 9:1-2
Pagãos greco-romanos também acreditavam ser a caverna a entrada do Hades – o equivalente ao inferno. No local foi construído um templo chamado Portão de Plutão, ou Plutonium, considerado o deus dos mortos, ou do submundo. Do orifício na terra saem gases tóxicos que se mostraram letais para animais que se aproximam, segundo os escavadores. O filósofo romano Cícero contou, em seus escritos, que aquela caverna “vomitava” gases letais, “vapores que, de tão densos, tornavam difícil ver o chão”.

Os arqueólogos encontraram no local meias-colunas com inscrições dedicadas a Plutão. Segundo os especialistas, sacerdotes levaram touros e bodes para dentro da caverna que, depois de mortos, eram arrastados para fora, mostrando aos fiéis o “poder” do falso deus. A equipe italiana alegou testemunhar que pequenas aves, ao se aproximarem da caverna, morreram instantaneamente pelas emanações de dióxido de carbono. A morte das aves foi o que chamou atenção dos escavadores para o local.
Perto da caverna, foram descobertas uma piscina rasa e arquibancadas – de onde o público acompanhava a morte dos animais a uma distância segura –, construídas pelos antigos fiéis, que batem com as descrições antigas.
A localidade em que a caverna foi encontrada é chamada atualmente de Pamukkale, famosa por ser uma estância de fontes termais, o que confirma a presença de emanações gasosas da terra.
Batalha no Apocalipse
Plínio, o Velho, historiador romano do 1º século, alegou em seus escritos que Hierápolis também foi conhecida como Magogue, palavra citada pelo profeta Ezequiel em Apocalipse 20, designando um dos exércitos convocados por Satanás antes de sua derrota, jogado no lago de fogo e enxofre.
A equipe italiana que descobriu o Plutonium foi chefiada pelo arqueólogo italiano Francesco D’Andria, da Universidade de Salento, que ficou famoso recentemente por afirmar ter encontrado o túmulo do apóstolo Filipe, também em Pamukkale.

domingo, 28 de julho de 2013

Pare de correr atrás do vento


Aplique toda a sua força em agradar Àquele que verdadeiramente é capaz de suprir as necessidades do corpo, da alma e do espírito





Clara e Helena estavam ansiosas. Aguardavam havia meses por aquele dia e ele finalmente chegara. Mal podiam esperar a hora da festa.
Faltava pouco. Os convidados já começavam a chegar ao salão.
Ainda em casa, elas faziam os últimos retoques no visual. Cabelo, maquiagem, vestido - tudo tinha que estar impecável; afinal de contas, todos os olhares estariam voltados para elas - as aniversariantes.
Tudo aquilo parecia uma imensa fantasia.  Desde criança, as gêmeas desejavam uma festa de aniversário, mas as condições financeiras dos pais não permitiam. O que ganhavam mal dava para o sustento da família. Contudo, nunca deixaram faltar nada para as filhas.
Quando as amigas contavam sobre suas festas de debutante e os presentes lindos que ganhavam, elas se entristeciam, pois nunca tinham nada para contar. Quando eram questionadas sobre o assunto, inventavam festas e presentes que nunca existiram. Era a maneira que encontravam de não se sentirem excluídas.
Por isso aquela festa de 15 anos significava muito para elas. Era mais que a realização de um sonho, era uma autoafirmação.  Não só para Clara e Helena, mas para os pais também, que sempre quiseram proporcionar essa alegria às filhas.
Durante meses economizaram, cortaram gastos, apertaram um pouco ali, um pouco aqui até conseguirem juntar o valor necessário para fazer uma festa com tudo o que elas tinham direito. 

Clara e Helena pareciam duas princesas. Os pais ficaram com os olhos marejados, tamanha a emoção em ver o brilho nos olhos de suas meninas.
Pais e filhas então se dirigiram para o local onde seria o baile de debutante. Todos estavam emocionados. 
Tudo estava conforme o esperado - a decoração, os doces, as lembrancinhas, as músicas... As amigas! Ah, elas estavam todas lá! Finalmente Clara e Helena não precisariam inventar uma festa para elas. Dessa vez, era de verdade. E que festa!
Elas estavam extasiadas.  Queriam que aquele momento durasse para sempre. Nunca haviam experimentado aquela sensação antes. De serem admiradas, elogiadas, paparicadas. Sentiam-se como se estivessem num conto de fadas.  Verdadeiras cinderelas.
Entretanto, como no conto de fadas em que a magia se desfez tão logo os relógios marcaram meia-noite, assim também todo aquele encanto criado em torno do baile de debutantes de Clara e Helena acabou tão logo a última música parou de tocar. O baile havia chegado ao fim.

E no dia seguinte, a vida delas continuaria tal qual era antes do baile. Nada havia mudado.
Elas continuavam com as mesmas limitações, as mesmas dificuldades. O baile não fora - e nem poderia ser - capaz de mudar a condição social, emocional e, muito menos, espiritual de cada uma delas. O máximo que ele pôde oferecer foi uma breve sensação de bem-estar e aparente felicidade.
Para refletir:
Onde você tem colocado as suas forças?
Muitos têm aplicado todo seu esforço em sonhos e projetos que servirão apenas para satisfazer o ego, quando deveriam aplicá-lo em agradar Àquele que verdadeiramente é capaz de suprir as necessidades do corpo, da alma e do espírito.
Além dessas coisas, tudo é ilusório e correr atrás do vento.
"Tudo quanto desejaram os meus olhos não lhes neguei, nem privei o coração de alegria alguma, pois eu me alegrava com todas as minhas fadigas, e isso era recompensa de todas elas. Considerei todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também o trabalho que eu, com fadigas, havia feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do sol. (...)Porque, como na multidão dos sonhos há vaidade, assim também, nas muitas palavras; tu, porém, teme a Deus." Eclesiastes 2.10-11; 5.7

sábado, 27 de julho de 2013

O que as mulheres querem?

Amigo quer saber o que fazer para agradar a esposa





"O que as mulheres querem, além de flores, cruzeiros românticos e cartões de crédito?"- Amigo.
Resposta:
As mulheres querem ser valorizadas e amadas. A Palavra de Deus define a principal responsabilidade do marido para com a sua esposa:
Marido, ame a sua esposa, assim como Cristo amou a Igreja e deu a Sua vida por ela. (Efésios 5.25)
Ou seja, o amor de Cristo pela Igreja é usado como padrão a ser seguido. Nosso modelo de amor para com nossa esposa não deve vir de filmes, livros, pais, parentes ou amigos. Nossa referência é o amor de Jesus por nós. Um amor marcado por entrega de si mesmo, sacrifício, cuidado e renúncia — não por emoção.
Quanto ao homem, ele deve ser equilibrado, seguro em todos os sentidos. Para proteger e cuidar de sua esposa, deve ser forte, mas na maneira certa. Não pode ser indefinido: uma hora quer uma coisa, outra hora quer outra. Se ele é imaturo, irresponsável e não mostra liderança firme, pode ter certeza, ela vai acabar tomando a frente.






Eu me informo e te informo (Folha UNIVERSAL na Fundação Casa)





Esta dinâmica é feita nas Unidades da Fundação Casa de São Paulo, com a orientação dos técnicos da Fundação Casa e Obreiros da UNIVERSAL.









Pastor Geraldo Vilhena (Coordenador de evangelização em Unidades da Fundação Casa de São Paulo)




IURD NA FUNDAÇÃO CASA PERGUNTA:Qual a importância da Folha Universal nesta dinâmica?
Pastor Geraldo Vilhena responde: A Folha Universal é rica em diversas informações que edifica os jovens internos e famílias na parte espiritual e social.
IURD NA FUNDAÇÃO CASA PERGUNTA: Por que edifica na área espiritual?
Pastor Geraldo Vilhena responde: Por que os jovens tem informações de varias mensagens dos Bispos e pastores e também aos testemunhos de transformação de vida.
IURD NA FUNDAÇÃO CASA PERGUNTA: Com esta dinâmica senhor tem observado mudanças ?
Pastor Geraldo Vilhena responde: Sim                                                                depois da implantação deste projeto os jovens internos tiveram mais interesse pela leitura.  Tendo como conseqüência um grande crescimento espiritual e educacional  na vida dos jovens na Fundação Casa.

É usado como fonte a FOLHA UNIVERSAL.



sexta-feira, 26 de julho de 2013

Ganhei há 33 anos um presente


Há 33 anos a atrás, eu não conhecia o Senhor Jesus mais ele foi tão bom comigo, que ele me deu um presente que foi a minha esposa Creusa Vilhena.
Depois de dois anos eu tive  oportunidade de conhece-lo,  ele me deu outro presente a minha  SALVAÇÃO.
Mais um ano ele me chamou junto com a minha esposa e me deu outro presente e falou este presente e para os dois faça a minha obra.
Meus amigos todo momento eu e minha esposa recebemos presentes do Senhor Jesus mais sabe qual é o segredo é a nossa ALIANÇA que fizemos com ele.










VIOLÊNCIA NAS BALADAS:FATALIDADE COMO OUTRA QUALQUER OU ESTIMULADA PELO AMBIENTE?



VIOLÊNCIA NAS BALADAS:FATALIDADE COMO OUTRA QUALQUER OU ESTIMULADA PELO AMBIENTE?Estatísticas levantadas pela Polícia Militar de praticamente todos os estados brasileiros mostram que, nos finais de semana, os óbitos entre jovens de 18 a 24 anos aumentam 1321%. De acordo com o governo de São Paulo, a combinação álcool e direção tem sido a principal responsável pelos números. O Estado reconhece também que, mesmo depois de a Lei Seca ter entrado em vigor, as mortes no trânsito da Capital, nos três primeiros meses de 2009, atingiu praticamente os mesmos índices verificados nos mesmo período do ano passado, quando a lei ainda não havia entrado em vigor. Para as autoridades, a distribuição desigual da fiscalização no território Nacional tem prejudicado o desempenho do Estado. Na capital paulista, por exemplo, houve queda de quase 1% das mortes provocadas por motoristas embriagados. No entanto, as regiões de Piracicaba, Sorocaba e São José do Rio Preto apresentaram altas significativas nas estatísticas, o que prejudicou a média de todo o Estado, que, no geral, reduziu 7,3% as mortes no trânsito. De forma geral, no interior de São Paulo, mesmo depois da Lei Seca as mortes no trânsito aumentaram, em média, 20% e, mais uma vez, quase 72% das ocorrências aconteceram aos finais de semana e envolveram jovens de menos de 25 anos. Como confirmam as estatísticas, uma noitada em uma casa noturna qualquer parece não ser uma simples forma de diversão e lazer, essencial à saúde física e mental de todos. Elas são bem mais do que isso. Soam como pretexto. São raros os casos em que um jovem procura, numa balada, diversão e entretenimento, ou alguém legal para conhecer. Ao que tudo indica, as baladas viraram uma espécie de comemoração moderna ao deus Baco. Lá, sob o pretexto da distração e do lazer, muitas vezes o alvo é o consumo de drogas pesadas e de álcool, além da busca por sexo sem compromisso. Tudo sem limitações e aborrecimentos, seja por parte da família ou até mesmo da legislação.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Até que o dinheiro nos separe

Quando o casal começa a brigar por questões financeiras, é sinal que a confiança um no outro está afetada






"Que vestido lindo! Ele é a minha cara" - diz Lúcia, puxando a amiga para dentro da loja.
- Lúcia, você não acabou de me dizer que ontem teve uma discussão com seu marido por causa dos seus gastos excessivos? - Questiona a amiga.
"É verdade" – responde Lúcia. "Mas, é só um vestido. Ele nem vai notar..."
Meia hora depois ela sai da loja cheia de sacolas. Além do vestido, comprou uma sandália - que, segundo a vendedora, combinava com o vestido. Lúcia não resistiu e acabou comprando os dois, apesar dos conselhos da amiga, que tentou alertá-la.

Enquanto isso, em casa, Mauro - o marido - examina assustado a fatura do cartão de crédito que acaba de receber. Não precisou muito tempo para perceber que o orçamento do mês havia estourado mais uma vez.
Seria mais um mês apertado. Era preciso cortar gastos com urgência. Se não tomasse nenhuma medida nesse sentido poderia dar adeus ao plano de trocar de carro no final do ano.

Lúcia, por usa vez, estava empolgadíssima com a nova aquisição. Mal podia esperar para usar o vestido novo.
Agora, mais do que nunca, precisava se conter. Não podia comprar mais nem uma agulha, do contrário, seria divórcio na certa. Prometeu a si mesma que este foi seu último gasto com roupas naquele mês. Afinal de contas, tinha que juntar dinheiro para conseguir fazer uma bela viagem com o marido no final do ano. "Ele anda muito estressado. Precisa viajar para relaxar", argumenta.
A história acima é um exemplo típico de casal que tem problemas sérios no casamento por não saberem lidar com o dinheiro no relacionamento.
É possível detectar nas atitudes de ambos erros comuns em muitos casais, que acabam gerando brigas e desentendimentos, terminando, em muitos casos, em divórcio.

  Que erros são esses?







1-Descontrole, comprar por impulso;
2-Omissão de gastos;
3-Individualismo. Fazer planos sem o conhecimento do outro.
Entretanto, a raiz do problema não é o dinheiro, mas a falta de confiança, explica Renato Cardoso, apresentador do programa "The Love School ":
"Confiança á a base do amor. Se não há confiança, não pode haver amor. Quando os casais começam a discutir por assuntos de dinheiro, na verdade, a raiz do problema está na confiança ou na falta dela. Se há mentiras por parte de um, o outro deixa de confiar".

Em um casamento não deve haver "meu dinheiro" e sim, "nosso dinheiro", explica. 
Numa empresa, todos trabalham visando atingir o objetivo da companhia.  Se a empresa está passando por uma crise financeira, não seria coerente o patrão deixar de pagar os funcionários para comprar um carro novo para ele. "O mesmo vale para a empresa 'casamento'", esclarece.
Antes de qualquer coisa, é preciso entender a maneira com que o seu companheiro enxerga o dinheiro.
Algumas pessoas veem o dinheiro como um meio de satisfação (se eu ganho é para gastar). Outras o veem como forma de proteção, segurança (gastar o mínimo necessário para ter uma reserva no caso de uma emergência). E há aquelas que o veem como um jogo. Elas têm prazer em ganhar dinheiro. Trabalha por prazer. Para elas, o dinheiro é apenas uma consequência. Essa última é aquele grupo de pessoas que pensam em trabalho 24 horas por dia. Porque, para elas, não é um trabalho, elas têm prazer em fazer aquilo.
Essas maneiras diferentes de enxergar o dinheiro é o que causam os conflitos no relacionamento. Por isso é preciso conhecer o perfil do outro e, juntos, acharem um ponto de equilíbrio.  Para isso é fundamental que haja diálogo e planejamento.
Veja algumas dicas sobre finanças no casamento:

1 - Crie um orçamento familiar;
2 - Para evitar discussões, procure entender a natureza do seu parceiro. Respeite as suas inclinações de consumo;
3 - Independentemente da sua natureza, não compre por impulsos ou emoção. Atente para a razão e para necessidade;
4 - Não omita do seu marido ou esposa o valor de sua renda e de seus gastos. Seja transparente.  O ideal é estabelecer um valor limite de gastos. Se ultrapassar, consulte o outro antes de fazer a compra;
5 - Tenham apenas uma conta bancária conjunta. Não se esqueçam de que serviços bancários são cobrados. Com apenas uma conta, menos dinheiro sairá da empresa-casamento;
6 - Evitem ter mais de um cartão de crédito. Além de cobrarem taxas, normalmente oferecem limites com base no seu rendimento;
7 - Planejem e tomem decisões juntos.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Cenáculo do Brás, faz palestras sobre drogas e almoça com as famílias dos internos, da Fundação Casa.



Neste ultimo domingo, aconteceu no Cenáculo do Brás, um almoço e palestra sobre drogas. Especialmente para mães dos internos da Fundação Casa.
O evento tem inicio com uma palavra ministrada pelo Pastor Geraldo Vilhena responsável pelo trabalho de Evangelização na Fundação Casa de São Paulo. Após oração para abençoar as famílias, ele relata quando o filho de Ezequias(Manassés) quando assumiu o reino de seu Pai, vez tudo o que era contra os mandamentos de DEUS.

Levantando ídolo dentro da casa de DEUS, também consultava os mortos, adorava todos os tipos de deuses.
Foi ao extremo matando seus filhos para oferecer em sacrifício.

Porem, em determinado momento de sua vida, Manassés foi levado preso e somente na prisão ele se humilhou diante de DEUS, convertendo-se verdadeiramente.
Enquanto Manasses estava sendo usando pelo mal, ele transformou-se em um verdadeiro monstro. Mas através da sua humilhação a DEUS, teve sua vida transformada e restaurada.

Então, fazendo um comparativo com a vida de Manassés; Mãe hoje seu filho está preso, nós cremos que neste período eles estão refletindo, sobre as coisas erradas que fizeram , e no tempo certo DEUS fará uma transformação na vida de cada um deles.



Aproveitando a oportunidade o pastor chamou os obreiros, que realizam o trabalho de evangelização na Fundação Casa, para falar com as famílias:




Obreiro Nelson
Diz que está fazendo um trabalho forte de libertação junto
Aos adolescentes da Fundação Casa. Os próprios funcionários, já percebem diferença no comportamento, e comentam que a unidade está mudando. Como um todo, isto é resultado , pois o mal que agia na vida de seus filhos esta saindo, pois onde há luz não pode existir trevas.








Obreiro Laudelino
Relata que na unidade onde desenvolve o trabalho, existia um jovem que não aceitava o batismo nas águas, ele até participava de algumas reuniões, mas o mal que estava em sua vida, não deixava que ele tivesse um encontro com JESUS CRISTO.
Mas através do trabalho de libertação , ele se entregou , batizou-se nas águas e estava completamente transformado, dias depois saiu em liberdade. E aqui fora foi morto pela ROTA, mas felizmente ele já havia consumado.
A entrega de sua vida a JESUS CRISTO, preservando assim a salvação de sua Alma. Se caso esta jovem permanecesse sem aceitar o batismo e JESUS CRISTO em sua vida, certamente agora sua alma, estaria condenada a viver eternamente nas trevas. 





Obreira Ana Maria
Comenta que através do estudo para libertação, já podemos perceber, a mudança de atitude dos jovens, que antes nem queriam saber de participar das reuniões. Mas hoje já participam fazem muitas perguntas e se interessam em conhecer  o processo, e estar mais próximos de DEUS. Tenho certeza que muitos deles vão entregar suas vidas a JESUS CRISTO em muito breve.




Obreira Selma
Diz que um jovem na sua unidade, sempre manifestava com demônios,
No modulo e os funcionários a tiravam do culto para resolver o problema deste jovem. Mas enquanto, eles não tiveram sido libertos de si mesmo, a luta pela libertação deve ser continua.
Nosso objetivo, e fazer com que estes jovens, retornem a sociedade liberta do mal que antes agia em suas vidas.




Sr. Brito Evangelista

Relata que hoje existem muitos jovens, desejando ser batizados, mas a unidade não esta autorizando a realização por enquanto. Mas, cremos que em muito breve, Esta situação vai mudar e todos eles vão ser batizados.


Obreira Amparo conta a sua experiência.


Obreiro Bonifácio conta também a sua experiência.

Obreiro Francisco de Itaquaquecetuba fala também.



Obreiro Pinez

Obreira Ana Campos

Na unidade, em que esta realizando o trabalho de evangelização já foi batizados cinco jovens, e o Espírito Santo têm operado grandemente e o resultado tem sido muito proveitoso.



Obreira Sebastiana do Camargo Novo


O Pastor Geraldo Vilhena apresenta os palestrantes Robson e Amauri que fazem parte do Bloco de Ajuda aos Dependentes Químico.


Robson comenta que o mal é espiritual, e a participação da família na libertação de seus filhos e muito importante, pois o mal vai tentar manipular o jovem á praticar coisas erradas novamente assim que estiveram fora Fundação Casa. 
Se cuidarmos da parte espiritual, tudo o mais será resolvido para o jovem e toda sua família. A blindagem é dada pelo SENHOR JESUS CRISTO, para que o mal não tenha mais força, nem atue mais na vida dos seus filhos.

Tenho 42 anos de idade, minha historia começa.
Aos 13 anos de idade, por simples curiosidade comecei a.
Cheirar cocaína dentro da escola. Depois, me especializei em roubo de Carro e moto. Eu era agressivo, quebrava tudo dentro de casa, e digo hoje com propriedade que o mundo do crime não vale a pena.


Quando os obreiros da Igreja falavam de DEUS para ele, respondia meu DEUS são as duas armas que eu carrego na cintura. Chegando, ao ponto de cheirar cocaína na mesa de sua casa, um dia drogou-se muito e foi andar de moto, sofrendo um grave acidente. Acordou, em uma UTI do hospital sem um pedaço da sua perna. Seus amigos do crime nenhum deles apareceram, mas a sua mãe estava lá, para dar o apoio que ele tanto precisava. Foi assim, que resolveu deixar a vida errada ,que estava levando e procurou em DEUS força para sair das drogas e do crime.










Amauri, fala que começou no mundo das drogas aos 11 anos, provei todo tipo de droga, em seguida começou no trafico de armas e munição. Permaneceu, envolvido no crime por 10 anos, contratava meninos de 11 anos, aqueles que eram ágeis ligeiros. Era pego para trabalhar no trafico o processo e igual até hoje. Eu, não tinha nenhum sentimento,mesmo colocando os meninos na frente da batalha.Acontece que o espírito da maldade esta agindo dentro da pessoa.Minha mãe,lutou durante muitos anos, pela sua vida e libertação, Buscando forças em DEUS e freqüentando a Igreja, fazendo as campanhas. Mas como ele estava cego, sendo manipulado pela ação do mal espiritual. Hoje, esta liberta com sua vida transformada. Porque, sua mãe não desistiu de lutar, por sua libertação. Então mãe quero dizer que continuem lutando por seus filhos, não deixando que o tráfico o adote para sempre. O combate e espiritual então as armas que vocês mães devem usar é através da ajuda de DEUS, porque sozinhos não temos força suficiente para vencer o mal.






Para o encerramento da palestra, o Pastor Geraldo Vilhena faz uma oração forte pelas famílias presentes. Em seguida, é servido almoço especialmente preparado para famílias, uma mesa farta com diversos tipos de pratos e sobremesas.

Na saída às famílias recebem alimentos da cesta básica e kits com CD e livros.

Foi realmente, um almoço muito abençoado, sendo que o alimento principal: A FÉ foi servida, para ser usada contra as investidas do mal na vida de seus filhos.









Cada família recebeu um litro de leite



Dentro da Fundação Casa os obreiros com os internos fazem uma dinâmica com a FOLHA UNIVERSAL, então nessa ocasião foi entregue para as famílias o resultado da dinâmica.







No final houve oração da fé e também para as pessoas receberem o Espírito Santo.