domingo, 30 de junho de 2013

Das ruas ao planalto.


Onda de protestos acontece em todo o Brasil, às vésperas de um ano eleitoral. Resta saber se o povo saberá escolher bem seus representantes em 2014






Desde que começaram, os protestos em todo País pareciam não ter mais fim. O movimento teve início na cidade de São Paulo, lutando contra o aumento nas tarifas de ônibus, e logo as mobilizações pelas redes sociais ampliaram o clamor de uma população que está cansada de ver tantas injustiças. Em pouco tempo, eram milhares de manifestantes espalhados por diversas cidades do Brasil, com listas de reivindicações.

Vinte e um anos depois do ato que ficou conhecido como “os caras pintadas”, que exigia o impeachment do então presidente Fernando Collor, o movimento atual não tem como alvo um político específico ou partido determinado; a insatisfação é contra a corrupção, contra o atual estado das coisas. Em um determinado momento, chegou a ser definido pelos críticos como “um movimento contra tudo”. Esse despertamento acontece às vésperas de um ano eleitoral, quando os cidadãos terão a oportunidade de, efetivamente, fazer valer o seu maior poder: eleger seus representantes em 2014. “O melhor protesto é votar certo”, declarou Marcos Pereira, presidente nacional do Partido Republicano Brasileiro (PRB). Ele reconhece também que boa parte da população não se sente mais representada pelo governo. “As pessoas querem renovação diante do desgaste da classe política.”

Depois de o Brasil assistir atônito a várias manifestações, muitas capitais tiveram revogados seus aumentos na tarifa de ônibus. Os protestos, porém, não terminaram. A população continuou saindo às ruas. Muitos manifestantes com reivindicações legítimas, de forma pacífica, enquanto outros aproveitavam a multidão para fazer tumulto e vandalismo, em manifestações marcadas por confrontos com policiais e cenas de violência. Fazendo alusão ao Hino Nacional, que descreve o País como “gigante pela própria natureza” e diz que está “deitado eternamente em berço esplêndido”, as redes sociais afirmam que “o gigante despertou”.

No entanto, somente o próximo ano será decisivo para analisar se o gigante realmente despertou. O primeiro sinal de que isso aconteceu será os eleitores não se deixarem levar por qualquer carinha bonita ou discurso simpático de “salvador da pátria”, não se deixar iludir pelas belas imagens das propagandas. O eleitor que realmente despertou vai procurar fazer uma escolha racional de seus representantes, sem se deixar levar por rumores, procurando se informar melhor antes de acreditar em toda notícia alarmista divulgada em período eleitoral. O gigante alerta vai sempre ouvir os dois lados para escolher racionalmente seu candidato, sem engolir qualquer coisa que a mídia, o horário político ou mesmo as redes sociais tentem empurrar goela abaixo.


A socióloga Haydee Roveratti acredita que os jovens não estão tão “por fora” assim de política e crê que as pessoas não estão agindo de repente. “O exame da nossa sociedade vem mostrando que as insatisfações originam reações imediatas ou mais amadurecidas”, declarou. Para Roveratti, o cenário das manifestações também não foi um ambiente para ação de partidos políticos. Se foi, segundo a especialista, não foi bem-sucedido.

Curioso que a questão do transporte público de São Paulo, que motivou o início dos protestos, foi também um dos pontos mais controversos da eleição para prefeito, ano passado. O então candidato Fernando Haddad (PT) prometeu que o Bilhete Único (sistema de cobrança de tarifas para transporte público) seria mensal. Já o adversário do petista nas urnas, Celso Russomanno (PRB), que liderava as pesquisas, pretendia criar a cobrança proporcional da tarifa de ônibus, com teto de R$ 3,00. Isto é, se o usuário percorresse menos, pagaria menos do que R$ 3,00. Haddad, no entanto, distorceu a proposta em seu programa eleitoral, dizendo que Russomanno queria acabar com o Bilhete Único e que o usuário que percorresse uma distância maior pagaria mais. Os eleitores caíram na manobra do petista, que foi eleito ainda no primeiro turno. Na ocasião, a briga eleitoral teve grande repercussão. Russomanno se defendeu dizendo que Haddad “mentia descaradamente” e acusou o petista de “jogar sujo” para desestabilizá-lo e desconstruir sua candidatura.

O reajuste de R$ 0,20 na tarifa de ônibus em São Paulo, autorizada pelo prefeito no início de junho, lançou também um holofote sobre o descumprimento daquela que foi uma de suas mais emblemáticas promessas de campanha: o tal Bilhete Único Mensal, divulgado no horário eleitoral como uma solução para o problema de transporte da capital (por apenas R$ 140 mensais, o cidadão poderia transitar de ônibus por toda a cidade), ficaria mais caro do que a propaganda prometia. Após o aumento da passagem, a população, revoltada, saiu às ruas, incentivando o restante do País a fazer o mesmo. Acuado, Haddad teve de revogar o reajuste.

O governo federal, no entanto, tomou medidas mais drásticas para responder ao clamor popular por ética e melhores condições de vida. No dia 24 de junho, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com líderes das principais capitais, governadores e ministros para conversar sobre mudanças. A proposta se resumiu no que ela chamou de cinco pactos. O primeiro se refere à responsabilidade fiscal, com planos que garantam a estabilidade da economia e o controle da inflação, muito exigido nas manifestações pelo País.


O segundo pacto é uma reforma política que amplie a participação popular. Dilma propôs plebiscito que pode trazer importantes mudanças. “Proponho uma nova legislação com penas muito mais severas. Quero neste momento propor um debate sobre a convocação de um plebiscito popular que autorize o funcionamento de um processo constituinte específico para fazer a reforma política que o País tanto necessita”, disse a presidente durante pronunciamento histórico.

O comentarista da Record News, Ricardo Kotscho, escreveu em seu blog no R7: “Se o povo dos monumentais protestos que ocuparam as praças e ruas do País queria retomar sua participação nas grandes decisões nacionais, das quais se sentiu afastado nos últimos anos, nada melhor do que um plebiscito para que este mesmo povo possa escolher as regras do jogo daqui para a frente”, comemorou.

No entanto, se a ideia de um plebiscito for adiante, é necessário que aqueles que saem às ruas emocionalmente hoje, sejam racionais e cautelosos, buscando informações, para fazer uma escolha consciente.

A saúde foi o tema do terceiro pacto, com destaque na intenção de contratação de médicos estrangeiros para atender ao Sistema Único de Saúde (SUS). Dilma deixou claro “à classe médica brasileira que não se trata nem de longe de uma medida hostil ou desrespeitosa aos nossos profissionais. Trata-se de ação emergencial, localizada, tendo em vista a dificuldade que enfrentamos para encontrar médicos em número suficiente ou com disposição para trabalhar nas áreas remotas do País ou nas zonas mais pobres das nossas grandes cidades”.

O quarto pacto lembrou um dos principais estopins para as manifestações: a melhoria do transporte público, com uma proposta de R$ 50 bilhões para investir em mobilidade urbana. Dilma destacou ainda a desoneração fiscal do setor que, segundo ela, garantiu a redução das tarifas de ônibus em 7,23% e a de metrô e dos trens em 13,25%.


Por fim, o quinto pacto teve como tema a educação no âmbito do investimento em ciência e tecnologia e a valorização do professor. Dilma reforçou o que disse em comunicado anterior, que quer destinar royalties do petróleo nesta área. Para a especialista em psicologia social e professora das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU-SP), Mariana Aron, o povo cansou de “sofrer calado” e começa a se manifestar. “Hoje em dia, as pessoas estão brigando simbolicamente todos os dias no tempo que leva para se deslocar em um transporte público ou por causa das condições de seus empregos. E não é por ganância, é por necessidade”, diz.

No entanto, de nada adianta brigar nas redes sociais, quebrar orelhões, depredar prédios públicos e nem mesmo participar de protestos pacíficos, gritando palavras de ordem e levantando cartazes com frases de efeito, se na hora de realmente decidir, na hora do voto, não houver esse mesmo desejo de mudança.

É nas urnas que se faz o protesto inteligente, analisando as propostas racionalmente e fazendo valer o direito de escolha pelo qual os brasileiros tanto lutaram em outro período histórico que levou multidões às ruas: as “Diretas Já”, em 1984.

Ainda que a situação pareça não ter saída, a cada nova eleição existe a chance de escolher certo. A injustiça social no Brasil é histórica e só vai começar a mudar quando houver uma mudança na forma de pensar e de votar. Essa é a maior luta do povo brasileiro, a nossa maior e mais eficaz manifestação.

Dicas para votar certo

Conheça seu candidato

Qual o histórico de vida dentro do grupo que ele representa?

Se ele ainda não teve um mandato, conheça suas ideias, seus propósitos e pelo que se propõe a lutar.

No caso específico do cristão, analise se ele defende os princípios e valores que guiam a vida cristã (fidelidade, honestidade e ética).

Ele pode fazer o que promete?

Procure saber quais as atribuições do cargo ao qual ele concorre. É comum ver candidatos a vereador fazendo promessas cujo cumprimento não caberia a vereadores, por exemplo.

Qual é o passado dele?

Precisa ter ficha limpa e defender as ideias compatíveis com as suas. Lembre-se: você está escolhendo o seu representante, o mínimo que pode exigir é que ele lhe represente.

Depois de eleito, acompanhe seu candidato

Nos sites do Congresso Nacional, das assembleias estaduais e câmaras municipais, é possível encontrar as atividades do político. Por exemplo: como votou em determinado tema, que projetos apresentou e que discursos fez.

Vale a pena cobrar e interagir enviando e-mails com sugestões ou reclamações e verificando qual o tratamento que o político dá a elas.

Nunca se esqueça

Quem vota de forma consciente jamais se esquecerá qual foi o candidato em quem votou.

Fonte: “Política e fé” – Arquivo Folha Universal.

sábado, 29 de junho de 2013

Fumaça negra




As instituições financeiras ligadas ao Vaticano e à Igreja Católica têm sido alvo de polêmicas, escândalos e acusações graves, como as denúncias recentes do jornalista italiano Curzio Maltese, do diário “La Repubblica” em seu best-seller “La Questua”. O livro, entre outras coisas, apresenta supostas evidências de que o Banco do Vaticano funcionaria como um paraíso fiscal. Desta vez, porém, é o banco alemão Pax Bank, também ligado à Igreja Católica, que tem suas atividades colocadas em xeque. A influente revista alemã “Der Spiegel” revelou que o Pax Bank havia investido 580 mil euros (perto de R$ 1, 5 milhão) em ações da BAE Systems, um fabricante de armas britânico. O Pax Bank também investiu 160 mil euros (cerca de R$ 425 mil) na fabricante de anticoncepcionais norte-americana Wyeth – a Igreja Católica condena o uso de anticoncepcionais e preservativos e combate o controle da natalidade. O banco também investiu 870 mil euros (R$ 2,3 milhões) numa empresa de cigarros. Diante destas operações, o Pax Bank emitiu uma nota de desculpas, “por não manter seus padrões éticos” na hora de investir. O banco, inclusive, costumava alardear que não concordava com investimentos em companhias que não seguissem as crenças católicas, como de tabaco, armas e outras. “Nós vamos corrigir os erros imediatamente, sem consequências negativas para os nossos clientes”, disse um porta-voz do banco à emissora britânica “BBC”. “Infelizmente, em algumas revisões internas estes investimentos críticos foram ignorados. Nós nos arrependemos profundamente.” O Vaticano também tem apresentado balanços desfavoráveis de seus negócios, como da Santa Sé que, no ano passado, anunciou um déficit de 9 milhões de euros (cerca de R$ 22 milhões). A Santa Sé é a sede da igreja como instituição religiosa e tem como objetivo auxiliar o papado de Bento XVI.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Congresso entra em ritmo frenético e derruba até voto secreto para cassação

Congresso entra em ritmo frenético e derruba até voto secreto para cassação

Não deixe o uso excessivo do celular comprometer sua relação. Ultrapasse as fronteiras da tela e dê atenção a quem está ao seu lado





As múltiplas funções dos celulares comprovam o quanto um aparelho pode ser indispensável nos dias atuais. Efetuar chamadas para falar com quem está longe se tornou praticamente uma função coadjuvante em meio a tantas outras formas de comunicação e entretenimento oferecidas pelos telefones atuais. Mandar e receber mensagens, conferir as últimas notícias, compartilhar fotos, acessar redes sociais ou pagar contas. Mas você já parou para pensar que o mesmo aparelho capaz de encurtar distâncias pode distanciar você do seu companheiro (ou da sua companheira) se for usado com exagero?

A era digital chegou com força total, e o aumento de celulares no País comprova esse avanço. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o crescimento foi de 107,2% entre os anos de 2005 e 2011. Eles estão mais acessíveis e mais modernos, mas devem ser usados com cautela para não prejudicar as relações pessoais.

Dados divulgados este mês pelo site inglês Female First revelou que britânicos passam mais tempo com os seus smartphones do que com os próprios companheiros. A pesquisa intitulada “Mobile Life 2013 Report” foi realizada pela empresa O2 e mostrou que o tempo gasto com o celular é 30% maior do que o período de convivência com marido ou esposa ao longo do dia.

O gerente-geral da O2, David Johson, confirma que os smartphones estão ficando cada vez mais inteligentes, com telas, sensores, câmeras e processadores que tornam a interação com o aparelho prazerosa. “No entanto, isso significa também que agora estamos gastando mais tempo com os nossos olhos colados na tela do que contemplando o olhar de nossos parceiros”, afirmou o britânico. Segundo a pesquisa, o tempo médio gasto diariamente com o celular é 119 minutos. Com o companheiro, apenas 97 minutos. Talvez seja a hora de desligar o aparelho e aproveitar a companhia da pessoa que está ao seu lado.

O uso excessivo pode afetar a intimidade entre o marido e a mulher e se tornar uma verdadeira arma contra o casamento. O despertador do celular toca pela manhã. Você pega o aparelho e aproveita para checar os e-mails antes mesmo de dar um bom dia para a pessoa que está ao seu lado. À noite, a cena se repete. Ao deitar, antes de adormecer, você pega o celular para conferir e-mails, checar as notificações nas redes sociais ou mandar mensagens aos amigos. A ação é simples, mas, ao se tornar corriqueira, pode ser um indício de que algo está errado na relação. Além de prejudicar o seu casamento, você pode estar destruindo sua saúde.

Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina de Harvard comprovou que usar o celular à noite, de forma excessiva, pode prejudicar a saúde. A pesquisa foi divulgada no mês passado pela revista inglesa Nature e mostrou que a luz emitida por esses dispositivos prejudica a indução natural do sono. A privação de sono, por consequência, está ligada à ocorrência de obesidade, diabetes, problemas cardiovasculares e enfraquecimento do sistema imunológico. Sem contar, é claro, que os momentos íntimos do casal podem ser gravemente prejudicados pela falta de qualidade no sono.


No livro “O Casamento Blindado” (Editora Thomas Nelson), o casal Renato e Cristiane Cardoso orienta o leitor a aproveitar a noite como um momento de união e liberdade a dois. “Essa é a hora do dia em que você deve investir mais no seu relacionamento, o contrário do que muitos têm feito.” Deixar de aproveitar o contato, a presença ou o carinho do parceiro para utilizar o celular e os seus recursos em horas inadequadas enfraquece a relação e não é saudável.

Para falar sobre esse e outros assuntos relacionados ao fortalecimento da união amorosa, o casal ministrará a palestra “Sexo em um casamento blindado – Os segredos da intimidade total”, para maiores de 18 anos, no próximo dia 29, sábado, na Av. João Dias, 1.800, em São Paulo, com transmissão ao vivo para mais de 100 cidades (adquira a credencial para o evento no site www.casamentoblindado.com ou na Universal mais perto de sua casa).

Renato e Cristiane falarão sobre como desenvolver a intimidade e garantir um relacionamento saudável e uma vida sexual satisfatória. Os participantes certamente poderão tirar todas as suas dúvidas sobre o tema, entendendo melhor o que é e o que não é aconselhável entre quatro paredes para aqueles que querem encontrar a chave para uma vida íntima mais feliz.

Trocar seu cônjuge por um aparelho eletrônico, por exemplo, obviamente não é nada aconselhável.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

COMBATE às DROGAS







Nesta ultima quinta feira, voluntários da IURD estiveram presentes, na Fundação Casa Vila Leopoldina, realizando um grande debate sobre drogas e suas conseqüências,
Para abençoar a unidade esteve presente, o Pastor Geraldo Vilhena Coordenador de evangelização, nas unidades da Fundação Casa de São Paulofez uma oração, na qual abençoou a unidade, os adolescente, e funcionários, na oração pediu a Deus que cada adolescente pudesse ter um encontro com Deus.
Em seguida chamou os palestrantes para que pudessem desenvolver o debate.






O primeiro que falou foi o palestrante Robson de Moraes. Disse ele, eu gostaria, de deixar três coisas bem claras eu não vim julgar ninguém, eu vim simplesmente
Alertar vocês do mundo que tive a atras, eu quero que você pergunte esclareça suas duvida em relação as drogas.
adolescente pergunta:como você entrou no mundo das drogas,e qual foi sua primeira experiência?
Robson responde tudo aconteceu na minha vida por falta de esclarecimento, no tempo de escola com 13 anos,hoje eu não tenho um pedaço do meu corpo em conseqüência das drogas, infelizmente por pura curiosidade a minha primeira experiência foi com cocaína quando o amargo desce os dentes encavalam, acocaína ela te da um ar de heroísmo, e você fica disposto a tudo.
Nelci Paiva pergunta: Cristiano quais foram suas experiências com as drogas?
Cristiano responde: Passei maus bocados por causa das drogas já experimente de tudo até êxtase, Quando a droga entra no organismo ela faz uma devastação, você perde totalmente a noção do que é certo ou errado, eu cheguei em um nível bem perto da morte.
José Maria Pergunta: É você Cristina como foi a sua experiência com as drogas?
Cristina responde: Passei pelo vale da sombra e da morte. Vivi um inferno, já passei pela Fundação Casa porque matei um policial, a minha experiência com as drogas foi a pior de todas já tomei até back, Em certas loucuras eu matava pelo simples prazer, sentia até gosto de sangue na boca,
Adolescente pergunta: Sra Cristina qual foi o momento mais difícil da sua vida?
Cristina responde: Foi quando vi minha mãe ser esquartejada pelos bandidos cortaram ela em pedaços e atearam fogo. Pois ela também era do mundo do crime.
Dimas Eugênio coordenador pergunta: O crime ele é ilusão e compensa?
Robson responde: O crime ele te dá prazer mais ao mesmo tempo ele te da uma rasteira.
Nelci pergunta você já colocou a sua família em risco?
Robson responde:
Sim ficava muito agressivo dentro de casa chegando ao ponto de colocar minha mãe em risco. Roubei um carro sem saber que era de um policial, os policiais foram atrás De mim na minha casa. arrebentaram a porta para me matar.Minha mãe ficou na minha Frente abriu a camisola e disse para o policial para matar meu filho vai ter que atirar em mim primeiro. Então um olhou para outro e disse que lá fora tinha muita gente e foram Embora sem atirar em mim.
Dimas coordenador pergunta: A droga ela está relacionada a dinheiro, vocês mais ganharam dinheiro ou gastaram?
Resposta: todos riram pois o dinheiro escoria pelo ralo.
Adolescente pergunta: vocês já tiveram overdose?
Resposta: os quatro já passaram por overdose.
Adolescente pergunta: Qual a cena que mais marcou no mundo do crime?
Robson responde:

Foi quando um jovem foi mandado comprar a droga, para um outro do grupo Mas quando ele voltou com a droga ele tinha usado um pouco. e quando chegou O que tinha mandado comprar percebeu e





O que mais me chamou a atenção foi o desabafo de um adolescente, disse: que aos treze anos de idade queria ganhar muito dinheiro e foi até ao candomblé fez um pacto com o mal e começou a ganhar muito dinheiro, e no decorrer do tempo foi perdendo tudo, e com isso começou a roubar, em uma dessas se deu mal e foi parar na Fundação Casa. Robson, convida o jovem que fez o pacto com o mal para fazer dessa vez um pacto com Deus, assim como ele fez um pacto com o diabo e o diabo destruiu sua vida, Deus irá reconstruir novamente. Após o debate Robson Moraes fez uma oração de libertação , para que cada adolescente com a ajuda de Deus reconstruísse suas vidas longes das drogas, e só isso é possível com a ajuda de Deus.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Idade é documento, sim

Idade de amadurecimento da mulher antecede à do homem em 10 anos. Como ficam, então, os relacionamentos em que ela é mais velha?

Muitos homens costumam falar que “panela velha é que faz comida boa”. Mas, na prática não é bem isso que ocorre, já que o relacionamento entre mulheres mais velhas e homens mais jovens costuma não ter muito sucesso.

Um dos exemplos mais conhecidos foi o namoro da cantora Madonna com o ator e DJ brasileiro Jesus Luz, que mantiveram um relacionamento por apenas 2 anos. A artista era quase 30 anos mais velha que o ex-namorado. Atualmente a rainha pop de 54 anos, namora o dançarino Brahim Zaibat, de 25 anos. A mãe do rapaz, a francesa Patricia Vidal, é oito anos mais nova do que a cantora e disse ter estranhado quando o filho anunciou o namoro. “Madonna já era uma grande estrela quando eu era adolescente. Essa situação toda é muito estranha, chega a ser surreal”, desabafou. Além disso, a relação do casal foi abalado por questões religiosas, já que Brahim é muçulmano e Madonna, praticante da Cabala.

Mas será que, além de estranha, a diferença de idade realmente pode ser um problema?

De acordo com uma pesquisa feita pelo canal Nickelodeon na Inglaterra, as pessoas realmente se tornam adultas, no que se refere ao comportamento, em torno dos 30 aos 40 anos de idade, sendo que os homens amadurecem por volta dos 43 anos, enquanto as mulheres, aos 32.

De acordo com o jornal Telepraph, 30% das mulheres entrevistadas na pesquisa disseram que já terminaram um relacionamento após “perderem a paciência” com a imaturidade do parceiro e 80% delas acreditam que os homens nunca deixarão de ser infantis.


Na prática, a questão da diferença de idade costuma pesar, principalmente se o homem não tiver maturidade suficiente tomar decisões de forma coerente e sensata, que passe segurança a sua parceira. Nesses casos é natural que a mulher acabe tomando as rédas do relacionamento, gerando – na maioria das vezes, um problema maior aparece. De um lado, o homem se sente diminuído, inferiorizado diante da liderança e firmeza da sua companheira. Por outro, ela também fica insatisfeita por se sentir mais mãe do que parceira do homem com quem está se relacionando.

No entanto, se você já está em um casamento com grande diferença de maturidade, não se desespere. Para que um relacionamento assim funcione, é importante que a mulher triplique a paciência com o marido imaturo. Deve fugir da tentação de bancar a mãe dele e ainda mais da tentação de tomar as rédeas da família.

Porém, se você ainda é solteira e está livre para escolher, é importante analisar o grau de maturidade do candidato a marido e usar a cabeça para fazer a escolha certa.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Do mau humor à alegria permanente

Do mau humor à alegria permanente

Conheça a história da dona Diva, uma obreira de fé aos 80 anos de idade

Por Ivonete Soares/ Fotos: Demetrio Koch e Cedidas
ivonete.soares@arcauniversal.com
 446  439  4 Orkut3 Google +0  0
Imagine-se convivendo noite e dia com alguém extremamente mal-humorado, que acorda esbravejando com tudo e todos, passa o dia inteiro de cara fechada e, por qualquer motivo, arruma encrenca com quem estiver ao redor?
Saiba que, apesar de ser cada vez mais frequente, esse tipo de comportamento também é imensamente destrutivo.
Quem acorda “virado” e se mantém dessa forma o resto do tempo tem grandes chances de sofrer uma série de moléstias e, especialmente, perder qualidade de vida. É isso o que você quer? Provavelmente não.
A decoradora de interiores Diva Vilhena – a dona Diva –, de 80 anos – recém-completados no último dia 23 de maio –, lembra-se bem do quanto agiu assim e do quanto isso foi prejudicial à sua vida no geral, bem como para a saúde.
Casada e mãe de 4 filhos (duas mulheres e dois homens), foi na cidade de Belém, capital do Pará, que passou toda a sua história, que se divide em duas partes: o antes e o depois da sua conversão ao Senhor Jesus.
Antes, garante, era tida como uma pessoa indesejável. Hoje, ressalta convicta: “Minha vida se transformou num bálsamo de tranquilidade.”
Essa alegria, inclusive, pôde ser notada até mesmo por intermédio das teclas frias de um computador, já que dona Diva nos concedeu a entrevista direto de Belém, por meio do bate-papo de uma rede social, e conseguiu transmitir (e contagiar também) – em poucas palavras – o que o poder de Deus é capaz de fazer na vida de alguém que, de fato, se coloca à Sua disposição. 
Acompanhe abaixo o que ela fez para mudar o curso de sua vida e como está hoje, no auge da alegria e de dias muito, mas muito bem-humorados:
“Minha vida era bastante conturbada. Vivia num mau humor constante. Tinha tudo para ser feliz, um bom casamento, filhos excelentes mas, no entanto, não era. Nada me alegrava, nada. Dormia e amanhecia mal-humorada, e o que mais me doía é que eu não tinha motivos para ser assim. Desde aquela época eu já tinha uma família feliz, que, por sua vez, mantinha a maior paciência comigo”, relata.
E como dona Diva retribuía? Sendo agressiva, grosseira.
“Sempre com uma resposta na ponta de língua. Em casa, todos me temiam. Na verdade, eu tinha uma vida estruturada, só não conseguia valorizar a bênção que Deus tinha me concedido: uma família. Não levava desaforo para casa, me sentia a dona da razão, era egocêntrica e muito orgulhosa também”, ressalta.
Por causa dessa constância negativa, dona Diva começou a ter problemas de saúde, tais como hemorragia nasal e gastrite nervosa.
“Ao buscar ajuda médica, passei a me tratar com frequência, a tomar medicamentos, mas nada resolvia. Tudo era em vão, sem sucesso”, pontua.
Mas ela continuava a brigar; brigava por tudo; ninguém podia lhe afrontar. Se assim o fizesse, pronto, lá estava ela, argumentando e discutindo.
“Por ser assim, sentia um vazio tremendo, o qual tentava preencher comprando de forma compulsiva. Como consequência, enfrentei uma série de transtornos financeiros, afinal, comprava muitas coisas, e de forma desnecessária. Usava vários cartões de crédito. Todos os dias tinha de sair e comprar algo para tentar me sentir um pouco melhor. Tempos horríveis”, relembra.

Foi assim, aprisionada a uma vida completamente sem sabor e bastante amarga que a hoje doce dona Diva entrou pela primeira vez em um templo da Universal.
Doce, porque a cordialidade e a gentileza são alguns dos adjetivos que encontramos para denominá-la em sua atual situação.
Obviamente que para ser o que ela é hoje precisou percorrer um caminho que muitos rejeitam, ou seja, a decoradora teve de quebrar o orgulho, reconhecer sua pequenez diante de Deus e aceitar que precisava de ajuda, que precisava mudar para alcançar a tão sonhada paz interior consigo e com os seus familiares.
“A Creusa (foto acima), minha nora, esposa do meu filho, Geraldo, que é pastor da Universal (foto abaixo), me convidava sempre para ir à Igreja. E de tanto me fazer o convite, um dia acabei aceitando. Confesso que não fui de boa vontade, e sim para satisfazê-la. Como a maioria das pessoas, cheguei vazia, descrente, não acreditava no poder sobrenatural de Deus e da fé”, argumenta.

Mas quando conheceu o Senhor Jesus, a sua vida se transformou.
“Obtive segurança e uma mudança efetiva de humor. No mesmo dia em que entrei e assisti a uma reunião na Igreja, algo aconteceu. Saí de lá querendo fazer a Obra de Deus e levar as Boas Novas a todos”, revela.
E, de fato, não demorou muito. Meses depois, dona Diva se transformara numa nova mulher, oposta ao passado, cheia de vitalidade e alegria advindas do próprio Deus, do batismo com o Espírito Santo, como ela mesma define.
“Meu falecido marido e a minha nora foram os que mais me apoiaram e me incentivaram a conhecer a Universal, onde eu conheci o Senhor Jesus, que foi o meu médico, a minha cura, o Médico dos médicos”, comemora.
Obreira da Universal há 28 anos, dona Diva atualmente coordena um grupo de senhoras e se dedica exclusivamente à Obra de Deus, tal como sonhou e determinou naquele primeiro dia em que pisou pela primeira vez a planta dos seus pés na Igreja.
“Visitamos hospitais e temos um ponto de fé que acolhe a todos os necessitados. O meu humor? Meu Deus, é outro. Marido, familiares, amigos, todos estranharam a minha mudança total, e para melhor, claro. Só posso dizer que antes a minha vida estava nas trevas, mas hoje, apesar dos meus 80 anos, sou uma mulher saudável, pratico caminhada (foto abaixo), hidroginástica, sou muito feliz. A vida econômica é próspera e me sinto muito querida por todos os que me cercam, tanto a minha família quanto a grande família Universal, da qual fazemos parte”, conta ela.

E dona Diva despede-se dizendo: “Beijos, minha linda, foi um enorme prazer falar com você!”, deixando – ainda que virtualmente – um rastro de alegria.
Dá para notar, dá para entender. É mesmo impressionante a ação de Deus na vida de uma pessoa.
Fica registrado aqui um exemplo de mulher, mãe, esposa, tia, sogra, avó. Um exemplo de mulher de Deus, transformada pelo Seu imenso amor e por Sua infinita misericórdia.
É isso que Deus faz, e é isso que Ele deseja fazer na vida de todos que por Ele clamarem. Experimente e verá o resultado.

domingo, 23 de junho de 2013

A UNIVERSAL e a Cantara Sula Miranda na Fundação Casa.



Neste último domingo na Fundação Casa Franca da Rocha Internato, a cantora e compositora Sula Miranda inicia o evento contado um pouco de sua historia.
Aos 25 anos teve um grave problema em sua laringe, esta ficou muito estreita.
E uma junta de 40 médicos a desenganou dizendo que para seu caso não havia
Mais jeito mesmo fazendo cirurgia ela não poderia mais falar nem cantar.
Mas Deus mudou sua historia, pois após a cirurgia ela voltou a falar e cantar e hoje.
Traz este lindo testemunho.

Hoje jovem é o começo de tudo e canta uma linda musica aos internos
Levando está mensagem:

Nada de ficar dizendo que para seu caso não tem jeito, porque hoje Deus pode mudar a sua historia. Pois Jesus disse que ele é o caminho a verdade e a vida.
Se você desejar isto, ele dá a ti vida e vida com abundância, pois DEUS supera todas.
A nossa expectativa basta pegar o caminho e a direção certa.

Deus nos trouxe aqui esta tarde, pois ele ama muito cada um de vocês.
Se hoje você está sentido um caco, Jesus quer moldar sua vida.
Para que se tornem uma nova pessoa em Cristo Jesus.
Porque DEUS opera milagres e nos da um novo coração, pois a fé.
E que faz mudar toda uma situação em sua vida.
Logo após a mensagem e aos louvores da Sula Miranda,











foi apresentada também uma palestra sobre Drogas ministrada por Amauri e Jeidson.

Amauri relata seu inicio no mundo das drogas aos 11 anos de idade conheceu

As drogas, onde permaneceu por 10 anos se envolveu com o crime, trafico.
De drogas e armas. Usou todos os tipos de drogas, ficou este tempo todo envolvido porque conseguia tudo de maneira muito fácil.
Mas chegou um ponto ele percebeu que todos seus parceiros estavam morrendo.
Então resolveu sair desta vida, pois ele seria o próximo a ser morto.

Buscou em DEUS a força para sair do mundo das drogas e do crime,
E foi liberto através dos cultos na Igreja Universal, depois entrou para o grupo.
De Evangelização e hoje está com sua vida transformada em todos os sentidos.
Hoje é casado pai de um filho, empresário no ramo da informática, ele disse.
Buscou em DEUS e este lhe deu a direção e visão para que reconstrução de sua vida.


Jeidson começa sua palestra falando tenho 28 anos moram na zona sul de São Paulo,
Iniciou no crime aos 13 anos, rapidamente tornou-se gerente de boca de drogas.
Vivia com 02 pistolas na cintura, permaneceu no mundo do crime por 10 anos sempre envolvido com muitas mulheres.
Tomou 06 tiros. Pertenceu ao PCC durante algum tempo,assaltou bancos,carros fortes Foi preso e passou por varias unidades da fundação casa e conheceu o trabalho da Universal em uma das unidades da fundação Casa.


Não estava mais agüentado ficar naquela vida errada e quando saiu em liberdade
Começou freqüentar os cultos na Igreja Universal, venceu seu orgulho e preconceito.
E foi a guerra pela sua salvação, fez um prova com DEUS, se realmente ele existisse.
Mudaria a vida dele em 30 dias.
Mais em apenas 02 semanas DEUS tirou dele a vontade pelas drogas e bebidas.
Ele aceitou Jesus se batizou nas águas, se afastou das más companhias e das drogas.
Esta vivendo em novidade de vida já faz 02 anos, hoje é Empresário e possui 02 pizzarias. DEUS mudou sua vida espiritual e material.

Perguntas:

Interno pergunta? Por quais unidades ele passou?

Jeidson responde:
Passei em varias unidades, imigrantes, Tatuapé, Brás, Par alheiros.

Interno Pergunta: Quanto você saiu do mundo crime houve perseguição?

Jeidson responde:

Sim claro mais foi forte e determinado para que eles não tocassem na minha família
Pois quando estamos no mundo do crime, não medimos as conseqüências, pois o que plantamos certamente iremos colher.

Interno pergunta: O que o levou a ter conhecimento da verdade?

Jeidson responde:

Que no começo quando conheceu a verdade através da busca por DEUS
Por ser um mal espiritual, foi uma luta muito grande entre a carne e o espírito.
Mais venci com a direção de JESUS CRISTO.

Interno pergunta:

Na sua conversão parece que sua vida ficou parada?

Jeidson responde:

Após ser batizado e buscar o Espírito Santo, para que fosse tirada a vontade.
Pelas drogas e o crime. Pois aquele que tem o espírito de Deus supera todas as
Barreiras.


Interno pergunta: Se ele era enquadrado pela policia depois de sua conversão a DEUS?


Jeidson responde: Não antes da conversão era sempre enquadrado, após sua conversão.
Nunca mais foi enquadrado.







Após a palestra seguiu com apresentação da Peça Teatral “Leiloa-se uma Alma”
Apresentado os diversos lances ofertados

Idolatria, Prostituição, Curtição, Vicio da bebida, ganância, fama, vicio das drogas,
Todos eles levam para mãos da Morte
Porem e o principal e maior lance ofertado foi o de JESUS CRISTO que ofertou sua Própria vida em sacrifício na cruz pela remissão dos pecados e nossa Salvação.


























































Para finalizar este maravilhoso Evento o Pastor Geraldo Vilhena coordenador
De Evangelização na Fundação Casa de São Paulo faz uma oração da fé em favor dos internos seus familiares.








Foi servido bolo, refrigerantes e sorvetes a todos,



















e para encerrar houve distribuição.De livros nos Passos de Jesus para as famílias dos internos













Sem duvida um Evento maravilhoso levando a presença do “Senhor Jesus”
Para o coração dos internos e suas famílias.