quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

VIOLÊNCIA NAS BALADAS:FATALIDADE COMO OUTRA QUALQUER OU ESTIMULADA PELO AMBIENTE?



Estatísticas levantadas pela Polícia Militar de praticamente todos os estados brasileiros mostram que, nos finais de semana, os óbitos entre jovens de 18 a 24 anos aumentam 1321%. De acordo com o governo de São Paulo, a combinação álcool e direção tem sido a principal responsável pelos números. O Estado reconhece também que, mesmo depois de a Lei Seca ter entrado em vigor, as mortes no trânsito da Capital, nos três primeiros meses de 2009, atingiu praticamente os mesmos índices verificados nos mesmo período do ano passado, quando a lei ainda não havia entrado em vigor. Para as autoridades, a distribuição desigual da fiscalização no território Nacional tem prejudicado o desempenho do Estado. Na capital paulista, por exemplo, houve queda de quase 1% das mortes provocadas por motoristas embriagados. No entanto, as regiões de Piracicaba, Sorocaba e São José do Rio Preto apresentaram altas significativas nas estatísticas, o que prejudicou a média de todo o Estado, que, no geral, reduziu 7,3% as mortes no trânsito. De forma geral, no interior de São Paulo, mesmo depois da Lei Seca as mortes no trânsito aumentaram, em média, 20% e, mais uma vez, quase 72% das ocorrências aconteceram aos finais de semana e envolveram jovens de menos de 25 anos. Como confirmam as estatísticas, uma noitada em uma casa noturna qualquer parece não ser uma simples forma de diversão e lazer, essencial à saúde física e mental de todos. Elas são bem mais do que isso. Soam como pretexto. São raros os casos em que um jovem procura, numa balada, diversão e entretenimento, ou alguém legal para conhecer. Ao que tudo indica, as baladas viraram uma espécie de comemoração moderna ao deus Baco. Lá, sob o pretexto da distração e do lazer, muitas vezes o alvo é o consumo de drogas pesadas e de álcool, além da busca por sexo sem compromisso. Tudo sem limitações e aborrecimentos, seja por parte da família ou até mesmo da legislação.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

CIÚME:NA MAIORIA DAS VEZES ACONTECE DEVIDO AO COMPLEXO DE INFERIORIDADE, A RIVAL TEM MAIS QUALIDADE OU ONDE HÁ FUMAÇA

 

Machado de Assis, autor do clássico romance Dom Casmurro, perpetuou sua obra e sua grandiosidade literária ao abordar, de forma inteligente e realista, o ciúme e a devastação que esse sentimento pode provocar na alma e na vida das pessoas. Também na música popular brasileira o ciúme é tema frequente. Grandes sucessos de Chico Buarque, Caetano Veloso, Lupicínio Rodrigues, entre outros, abordam a relação estreita e tênue entre esse complexo sentimento e o amor. Mas, se por um lado o ciúme pode servir de base para a inspiração de vultosos artistas, por outro, ele pode ser também o responsável pelo sofrimento e tormenta na vida de muitos casais. De acordo com a quase totalidade dos psicólogos, o ciúme é um sentimento inerente à espécie humana. Em maior ou menor grau, todo mundo já o experimentou em algum momento da vida e, diferentemente do que imagina aquele que é acometido por ele, o ciúme é uma reação pessoal, voltada exclusivamente para a pessoa que o sente. É diferente, por exemplo, de algumas sensações como o medo despertado por um lugar, pela altura ou por algum inseto, que vêm do exterior (meio) para o interior (indivíduo). O ciúme em excesso é também, portanto, uma manifestação própria de personalidades com tendências egocêntricas. Quando manifestado de forma mais grave, o que pode comprometer a saúde mental e até mesmo física das pessoas, o ciúme é chamado de patológico pela psiquiatria. Nesses casos, o portador desse distúrbio paranoico não é capaz de diferenciar fantasia e imaginação da realidade. Os principais sintomas são extrema desconfiança e constante busca de provas e confissões por parte do parceiro. São comuns também ansiedade, depressão e um forte sentimento de humilhação acompanhado pelo desejo de vingança. Algumas pessoas relatam experimentar durante esses episódios um acentuado aumento da libido. Tal distúrbio, se detectado, deve ser rapidamente tratado, pois pode induzir o portador a tomar atitudes que colocam em risco a própria vida e a de outros. Há que se ressaltar também que o ciúme natural e racional, quando bem dosado, é um importante indicador da importância que se dá ao outro. A ausência dele, portanto, pode ser tão prejudicial quanto o excesso. E talvez venha daí a expressão “temperar a relação”. Como o sal, ciúme de mais pode ser perigoso; de menos, deixa tudo muito insosso e sem-graça



Evangelização e batismo na Fundação Casa SPVoluntários da IURD levam palavra de fé aos internos SÃO PAULO – O trabalho de evangelização realizado pela IURD nas unidades da Fundação Casa SP (antiga Febem) tem se intensificado nos últimos anos.


 Semanalmente, voluntários da IURD levam uma palavra de fé aos internos, procurando mostrar a importância de buscar a Deus. Muitos têm demonstrado arrependimento de seus erros, que como conseqüência lhes trouxe a privação da liberdade.

  Segundo o coordenador do trabalho no Estado de São Paulo, pastor Geraldo Vilhena, os resultados são gratificantes. "Procuramos levar aos internos conforto espiritual, através do qual muitos têm aceitado com interesse a Palavra de Deus e mudado de vida. Temos constatado o resultado do nosso trabalho quando estes decidem se batizar e, aqui fora, nos procuram, querendo dar continuidade ao que aprenderam enquanto reclusos", relata o pastor.





segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Igreja Universal do Reino de Deus Igreja Universal se posiciona sobre a reportagem publicada na revista Forbes Tocada pela legítima indignação dos fiéis.


A verdade sempre prevalece


Igreja Universal do Reino de Deus
 Igreja Universal se posiciona sobre a reportagem publicada na revista Forbes

Tocada pela legítima indignação dos fiéis, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) bem como seu fundador, bispo Edir Macedo, vêm a público apresentar algumas considerações e desmentir a reportagem “Bispo Edir Macedo é o pastor mais rico do Brasil com uma fortuna de US$ 950 milhões”, publicada pela revista “Forbes” e repercutida por vários veículos de comunicação.
1) A Rede Record de Televisão é o único bem do qual o Bispo Macedo é proprietário, como é de amplo conhecimento. A Record como empresa está confiada a ele com o aval das autoridades, dos seus milhares de funcionários e artistas, dos milhões de fieis da IURD, e dos seus telespectadores (de todas as religiões) que a tem feito a segunda emissora do País;
2) Deste único bem que possui, o bispo Macedo não recebe salários, nem tem retirada de lucros — nunca recebeu até hoje nem um centavo da empresa. Não vive dessa atividade, mas é dependente do seu próprio trabalho como pastor evangélico;
3) Fora a Record, o bispo Macedo NÃO possui qualquer outro patrimônio pessoal, inclusive já tendo doado alguns imóveis para a IURD, imóveis estes que foram adquiridos com seus próprios recursos de direitos autorais; 
4) A mentirosa informação sobre o patrimônio do fundador da IURD foi baseada em um apanhado de velhas mentiras publicadas na imprensa e repetidas por aqueles que fazem do PRECONCEITO contra a fé o motor de sua cobiça sem fim pelo poder, sempre tentando manipular a opinião pública;
5) O que, então, motivaria tal reportagem da Forbes e outras do mesmo gênero? A sempre repetida intenção de tirar a credibilidade de uma Instituição honrada e seu líder que tem ajudado milhões de famílias em mais de 180 países;
6) Esclarecemos ainda que a Igreja Universal não foi sequer procurada pelo autor da reportagem para confirmar se as informações eram corretas, o que demonstra o desprezo que o jornalista teve pela verdade;
7) Informamos que a Igreja Universal, bem como o bispo Edir Macedo tomarão as medidas judiciais cabíveis;
8) O bispo Edir Macedo é um líder evangélico respeitado por milhões de pessoas no Brasil e no mundo, cuja única riqueza é a fé que o tem levado há quase 50 anos a dedicar sua vida ao Evangelho e a ajudar as pessoas. Basta verificar os milhares de testemunhos espalhados pelo mundo afora.

sábado, 26 de janeiro de 2013

Apoio aos dependentes No Dia Nacional do Combate ao Vício, IURD promove campanha inédita para ajudar milhares de pessoas





Neste domingo, dia 20, ocorre em todas as Igrejas Universal do Reino de Deus (IURD) o “Dia Nacional do Combate aos Vícios”. A campanha tem por objetivo ajudar as pessoas a se livrarem de todo tipo de vício, como cigarro, álcool e drogas. De acordo com o bispo Marcello Brayner, responsável pela Força Jovem Brasil, o evento busca ainda proporcionar uma nova oportunidade aos viciados que se encontram excluídos da sociedade. “Queremos que eles vivam com qualidade junto da família, e que conheçam o mais importante, que é o Senhor Jesus. Essa é a preocupação da IURD e da Força Jovem, que, junto com os obreiros, estão nesse foco”, explica.


Para muitos que não conseguem se livrar do vício sozinhos, o apoio familiar é fundamental para dar início ao processo de mudança. Foi o que aconteceu com Gabriel Conceição Aventura, de 23 anos. Ele conta que foi usuário de drogas durante 7 anos. “Eu consumia maconha, cocaína e comecei a realizar pequenos furtos”, revela. Foram três prisões, sendo duas delas quando ainda era menor e a última aos 21 anos.


“Apesar dos conselhos que recebia da minha família, eu não conseguia parar. Somente em julho de 2012, quando recebi a visita dos meus pais no meu local de trabalho, é que as palavras deles conseguiram me dar força e me mostrar que havia uma saída. Naquele momento, eu aceitei o convite para buscar um encontro com Deus”, conta.


A mãe de Gabriel, Marina Teixeira, afirma que a transformação foi vista logo no dia seguinte, quando ele se batizou nas águas. “Ele mudou seu modo de agir, se tornou obediente e mais carinhoso”, diz Marina. Participando das reuniões na IURD e dos encontros da Força Jovem Brasil, Gabriel afirma que encontrou a mudança que tanto desejava. “Recebi apoio e conheci amigos de verdade. Consegui  abandonar os vícios e recentemente fui batizado com o Espírito Santo”, finalizou.


Os vícios e seus malefícios


Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo. No Brasil, 200 mil pessoas morrem todos os anos devido ao fumo. No Sistema Único de Saúde (SUS), cerca de 8% dos gastos com internação e quimioterapia são atribuídos a doenças relacionadas ao consumo do tabaco. Chega a mais de 50 o número de doenças relacionadas ao consumo do tabaco, que pode causar ainda impotência sexual, complicações na gravidez, aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo e infecções respiratórias.


No caso do álcool, o consumo no Brasil é considerado um grave problema de saúde pública. Segundo o 2º Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil, de 2005, a dependência do álcool tem aumentado. Além disso, grande parte dos acidentes de trânsito com vítimas está associada ao uso de bebidas alcoólicas.


Segundo dados da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína, crack e derivados, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. “O uso de drogas pode causar ainda pneumonite química (pela mistura de múltiplos solventes que são inalados pelo usuário), delírios de perseguição, causado pela paranoia do crack, e perda de memória e atenção, no caso de usuários de maconha”, explica André Luiz de Castro Carvalho Netto, médico psiquiatra, responsável pela Enfermaria de Psiquiatria do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe) e especialista em dependência química.


Uma grande oportunidade


Se você tem problemas com vícios e deseja uma mudança, compareça neste domingo à IURD mais próxima de sua residência. Para aqueles que conseguiram largar o vício, a campanha é uma oportunidade para convidar outras pessoas que ainda se encontram nessa situação.



Famílias dos internos da Fundação Casa participam de uma palestra com o Bloco de Ajuda aos Dependentes Químicos e almoçam no Cenáculo do Brás.


Neste último domingo (20/01/13) foi realizado uma palestra para as famílias dos internos da Fundação Casa de São Paulo, com o tema de um assunto que está destruindo uma parte da sociedade que é as drogas.

Para dar o início da palestra o pastor Geraldo Vilhena (Coordenador de Evangelização em Unidades da Fundação Casa de São Paulo.


 Foi convidados para realizar a palestra o Bloco de Ajuda aos Dependentes Químicos com seus palestrantes   Robson de Freitas (ex-usuário) e Amauri (ex-traficante)



Robson de Freitas diz tenho 42 anos de idade minha historia começa
Aos 13 anos de idade por simples curiosidade comecei a
Cheirar cocaína dentro da escola. Depois comecei me especializar
Em roubo de Carro e moto. Eu era agressivo quebrava tudo dentro
De casa e digo hoje com propriedade que o mundo do crime não vale
a pena



Amauri fala no mundo das drogas aos 11 anos provei todo tipo de droga em seguida começou no trafico de armas e munição. Permaneci envolvido no crime por 10 anos, contratava meninos de 11 anos aqueles que eram ágeis ligeiros.
Era pego para trabalhar no trafico o processo e igual até hoje,
Eu não tinha nenhum sentimento mesmo colando os meninos na frente da batalha.
Acontece que o espírito da maldade esta agindo dentro da pessoa.
Minha mãe lutou durante muitos anos pela sua vida e libertação,
Buscando forças em DEUS freqüentando a Igreja, fazendo as campanhas.
Mas como estava cego, para mim o meu DEUS era apenas as armas que eu possuía.
Um dia DEUS ouviu suas orações e eu fui buscar ajuda em DEUS
Hoje estou liberto com uma vida transformada. Porque ela não
Desistiu de lutar por mim. Então mãe quero dizer que continuem
Lutando por seus filhos, não deixando que o tráfico o adote para sempre.
O combate e espiritual então as armas que vocês mães devem usar é
Através da ajuda de DEUS, porque sozinhos não temos força suficiente.
Para vencer o mal.



Foi organizado um almoço especial pelos voluntários da Igreja Universal do Reino de Deus, para as famílias dos internos













O almoço também foi acompanhado com músicas cantada pela cantora gospel Luciana da Força Jovem e animada pelo grupo de teatro.






 Para encerrar o evento os voluntários da Igreja Universal do Reino de Deus, fazem doações de cesta básica para todas as famílias dos internos que  estavam presente.